Lisboa no vermelho em dia verde na Europa

A praça lisboeta contrariou a tendência positiva na generalidade das congéneres europeias. EDP e EDP Renováveis pressionaram o PSI-20, enquanto o BCP e a Galp Energia travaram as perdas.

A bolsa de Lisboa contrariou a tendência positiva na maioria das bolsas Europeias ao fechar no vermelho, pressionada pelo setor energético. Enquanto o Stoxx 600 avançou 0,24%, o índice nacional caiu 0,15% para 5.451,91 pontos.

A pressionar o mercado bolsista português esteve, sobretudo, a EDP Renováveis, ao cair 1,10% para 7,003 euros. A EDP também contribuiu para as perdas, tendo recuado 0,36% para 3,01 euros. Entre os desempenhos mais desfavoráveis ao PSI-20 esteve ainda, no setor do retalho, a Jerónimo Martins, que fechou a sessão com perdas de 0,99% para 15,52 euros.

Destaque também para a Pharol. A antiga holding da Portugal Telecom derrapou 2,60% para 45 cêntimos nesta sessão. É a maior acionista da operadora brasileira Oi e, na próxima segunda-feira, haverá reunião geral de credores da empresa no Brasil, onde será submetido a votação o novo plano de recuperação da empresa, não sendo certo que o mesmo seja aprovado.

A travar as perdas estiveram a Galp Energia, com uma subida de 0,10%, e o BCP, que avançou 0,90%, com os títulos a cotarem agora nos 25,92 cêntimos. Nota positiva igualmente para a Mota-Engil. A construtora anunciou que a sua subsidiária Lineas fechou esta sexta-feira a venda de participações na Scutvias e na MRN à Globalvia Inversiones. Os títulos subiram 1,54% para 3,30 euros.

Comentários ({{ total }})

Lisboa no vermelho em dia verde na Europa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião