Uría, Garrigues e MLGTS na transação do mês

  • ADVOCATUS
  • 7 Novembro 2017

O TTR destacou a conclusão da aquisição da EDP Gás e respetivas subsidiárias pela REN (Redes Energéticas Nacionais) como a transação do mês de outubro.

O TTR destacou a conclusão da aquisição da EDP Gás e respetivas subsidiárias pela REN (Redes Energéticas Nacionais) como a transação do mês de outubro. O negócio, avaliado em mais de 530 milhões de euros, contou com a assessoria dos escritórios Uría Menéndez – Proença de Carvalho e Garrigues Portugal do lado da entidade compradora.

A MLGTS assessorou a transação por parte da EDP Gás, e a equipa envolvida foi constituída pela sócia Catarina Brito Ferreira e pelo associado Helder M. Mourato.

A EDP Gás, a segunda maior rede de distribuição de gás em Portugal, com uma rede de 4.640 quilómetros, vendeu a totalidade do seu capital social e o das suas subsidiárias, EDP Gás Distribuição e EDP Gás GPL por 532,4 milhões de euros no final de setembro. O negócio foi concluído a 4 de outubro, após a oficialização por parte da CMVM. A empresa compradora recorreu a linhas de crédito e a um aumento do capital social, a realizar mediante oferta pública de subscrição.

O negócio de venda da EDP Gás foi anunciado em abril deste ano. A par com a transação, a EDP conseguiu ainda vender a Naturgas por 2,6 mil milhões de euros. Desta forma a energética poderá abater 536 milhões da sua dívida já este ano.

Da parte da Garrigues o associados sénior Manuel Cassiano Neves e da Uría – Proença de Carvalho o sócio Jorge Brito Pereira e a associada sénior Catarina Tavares Loureiro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Uría, Garrigues e MLGTS na transação do mês

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião