“Entrega de encomendas é oportunidade de grande crescimento para os CTT”

CTT reforçam aposta na entrega de encomendas, como o CTT e-segue ou os Parcel Lockers. CEO Francisco Lacerda diz que "Expresso e Encomendas" vão ser "pilar muito importante" para a empresa.

Francisco Lacerda diz que a internet está a pressionar o negócio da entrega de cartas dos CTT, mas acredita que o digital oferece uma “oportunidade de grande crescimento” no segmento do “Expresso e Encomendas”, que será um “pilar muito importante” para a empresa de correios nacional.

“Estou certo que o setor vai crescer em termos de velocidade e de relevância. A razão que faz as pessoas enviar menos cartas, o digital, é a mesma razão que faz este negócio [de Express and Parcel] crescer“, referiu o presidente executivo dos CTT. “As pessoas compram cada vez mais online e precisam de quem lhe faça a entrega no local onde querem que seja entregue”, adiantou ainda no discurso de abertura da segunda edição do CTT’s E-Commerce Day.

Lacerda considera mesmo que o negócio de E&P vai representar “um pilar muito importante” no crescimento das receitas dos CTT CTT 1,46% , compensando o declínio da atividade no negócio core da empresa, o “Correio”.

Sob forte pressão na bolsa, os CTT já perderam metade do seu valor em bolsa este ano, tendo fixado esta sexta-feira um novo mínimo de sempre abaixo dos 3,22 euros.

Este mau desempenho surge depois de a empresa de correios ter cortado o dividendo em 20%, na sequência dos resultados menos positivos que espera alcançar em 2017.

Até setembro, o segmento “Correio” apresentou uma quebra de 1% para 393 milhões de euros, em reflexo de menor atividade na entrega de correio postal por causa do digital. Por outro lado, o E&P cresce 9% e as receitas de 92,6 milhões de euros obtidas nos primeiros nove meses do ano representam já 17% do total das receitas.

Ciente da importante do negócio da entrega de encomendas, os CTT reforçaram a sua oferta nas últimas semanas com o lançamento do projeto piloto Parcel Lockers, um sistema de cacifos espalhados por locais públicos que permite levantar encomendas enviadas pelos CTT.

O novo sistema de cacifos automáticos está inserido no CTT e-segue, a partir do qual as encomendas podem ser enviadas para outros postos CTT para além do da área de residência, ou para uma nova morada específica. Com este serviço, as encomendas estarão disponíveis para recolha 24 horas por dia, sete dias por semana.

Na apresentação do e-Commerce Report 2017 dos CTT, Alberto Pimenta, diretor de E-Commerce dos CTT, revelou que a empresa detém uma quota de mercado de 50% no segmento das encomendas e expresso.

Mostrou ainda que 80% dos e-buyers portugueses fazem compras em sites internacionais, razão pela qual 66% das entregas correspondem a compras realizadas lá fora, com principal enfoque para a China, Espanha, França e Reino Unido.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Entrega de encomendas é oportunidade de grande crescimento para os CTT”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião