Preço do gás desce mas Portugal continua a ser dos que mais paga

  • Lusa
  • 29 Novembro 2017

Os preços do gás em Portugal desceram, mas continuam a ser os mais elevados da União Europeia. Na eletricidade Portugal é o segundo país da UE que mais paga.

O preço do gás em Portugal teve a segunda maior quebra homóloga da União Europeia (UE) no primeiro semestre deste ano, mas as famílias pagam as contas de energia mais altas, segundo o Eurostat.

Os consumidores portugueses pagavam, no primeiro semestre, o segundo mais alto preço da eletricidade expresso em paridade do poder de compra (PPC) – uma moeda artificial que elimina as diferenças de níveis de preços entre países – num total de 28,6 PPC por 100 Kwh, depois da Alemanha (28,7) e acima da Polónia (25,9) da Bélgica (25,6) e de Espanha (25,4).

Segundo dados do gabinete de estatísticas da UE, pelo menos metade da fatura da eletricidade é composta por impostos e taxas em Portugal (52%), na Alemanha (54%) e na Dinamarca (67%). Malta é o Estado-membro que menos taxas aplica sobre o preço da eletricidade (5%), seguindo-se a Croácia (15%) e a Bulgária (17%).

No que respeita ao gás, os preços em Portugal (em ppc) são os mais altos da UE (9,7 ppc por 100 kWh), seguindo-se a Suécia (9,5) e a República Checa (8,4), em oposição ao Luxemburgo (3,5 ppc por 100 kWh), Reino Unido (4,3) e Bélgica (4,7). Em Portugal, os preços do gás registaram, ainda assim, a segunda maior queda homóloga (-15,3%), depois da Croácia (-17,5%) e acima das da Lituânia (-11,6%), Letónia (-10,8%) e Bulgária (-10,3%).

As contas de gás portuguesas incluem 27% de taxas e impostos, sendo que a Dinamarca é o país com a maior carga fiscal (55%) e o Reino Unido com a menor (7%). As maiores subidas no primeiro semestre assinalaram-se na Estónia (21,1%), Dinamarca (12,7%) e Suécia (10,8%).

Em euros, os portugueses pagam os terceiros preços mais altos (7,7 por 100 kWH), depois da Suécia (12,1) e da Dinamarca (8,1), apresentando a Roménia a fatura mais baixa (3,2 euros por 100 kWh), seguida pela Bulgária (3,3) e Hungria (3,5 euros).

No primeiro semestre, o preço da eletricidade na UE era, em média, de 20,4 euros (o mesmo em ppc) por 100 kWh, uma quebra homóloga de 0,5%, sendo que 37% da fatura respeita a taxas e impostos. Pelo gás, na UE pagaram-se em média 5,8 euros (o mesmo me ppc) por 100 kWh, uma quebra de 6,3% em relação ao primeiro semestre de 2016, incluindo a fatura 26% de impostos e taxas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Preço do gás desce mas Portugal continua a ser dos que mais paga

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião