Verde pinta Wall Street com Fox a puxar pela bolsa

  • ECO
  • 14 Dezembro 2017

Venda da 21st Century Fox à Disney animou a aberta da bolsa norte-americana, com os títulos de ambas as empresas a crescer. Principais índices também estão a valorizar.

O anúncio desta quinta-feira da compra da 21st Century Fox pela Disney por 52,4 mil milhões de dólares (pouco mais de 44, 5 mil milhões de euros) está a entusiasmar os investidores. Na abertura da bolsa norte-americana, os títulos da empresa de Rupert Murdoch abriram a ganhar 0,74% para 32, 51 dólares. Já as ações da gigante do entretenimento infantil subiram 0,58% para 108, 4 dólares.

A seguir este otimismo estão os principais índices de Wall Street, que esta tarde estão pintados de verde. O Dow Jones está a valorizar 0,3% para os 24.650 pontos e o Nasdaq a crescer 0,15% para os 6.866 pontos. Ao contrário da tendência registada na quarta-feira, também o S&P abriu acima da linha de água, a subir 0,11% para os 2665 pontos.

Estas valorizações acontecem depois dos avanços na reforma fiscal, que foi aprovada na semana passada no Senado norte-americano. Ainda não era claro como os republicanos no Senado iriam chegar a um acordo com os republicanos no Congresso, depois do impasse com o texto final do plano que vai reduzir os impostos das empresas. Mas, esta quarta-feira, ambos os lados alcançaram um entendimento quanto à redação final deste pacote legislativo, abrindo caminho para a concretização de uma das principais promessas de Donald Trump.

“Temos um ambiente muito positivo, os investidores estão focados no acordo sobre o plano fiscal que está próximo de ser acordado tanto no Senado como no Congresso”, referiu Scott Brown, economista chefe da Raymond James, citado pela agência Reuters. “Vai demorar algum tempo até chegarmos aos detalhes da proposta, nomeadamente no impacto que terá em determinadas empresas, mas estas notícias são consistentes com um tom geral positivo”, acrescentou o mesmo responsável.

Ainda no plano macroeconómico, a Reserva Federal norte-americana anunciou esta quarta-feira uma subida dos juros, a terceira deste ano, tendo ainda indicado que pretende promover mais três subidas das taxas diretores nos EUA no próximo ano.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Verde pinta Wall Street com Fox a puxar pela bolsa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião