Banco de Inglaterra mantém taxas de juro

  • Lusa e ECO
  • 14 Dezembro 2017

Depois da subida anunciada em 2 de novembro, a primeira em dez anos, Banco de Inglaterra decide manter a taxa de juro em 0,5%.

No dia em que o BCE decidiu manter a taxa de juro de referência em 0%, o Banco de Inglaterra também manteve a sua taxa diretora em 0,50%. Isto depois da subida anunciada em 2 de novembro, a primeira em dez anos.

Após a reunião, o Comité de Política Monetária decidiu manter também o programa de estímulo económico, no qual investiu 445.000 milhões de libras (506.100 milhões euros) desde 2009 para a compra de títulos de dívida pública, maioritariamente, e privada.

O banco optou por manter as medidas vigentes, de modo a dar tempo para que se consolidem, uma vez que não se notam novos riscos económicos adicionais aos já antecipados.

O principal risco para o Reino Unido continua a ser, segundo a entidade, o efeito da negociação do ‘Brexit’ (saída do país da União Europeia), que provocou, entre outras coisas, a desvalorização da libra e o aumento da inflação,

A economia britânica apresenta um crescimento moderado, com uma expansão de 0,4% do Produto Interno Bruto no terceiro trimestre do ano.

Já a inflação aumentou em novembro para 3,1%, o nível mais alto em seis anos, enquanto o desemprego caiu para 4,3%, um mínimo desde 1975.

Em 2 de novembro, o Banco de Inglaterra subiu as taxas de juro de 0,25% para 0,50%, o primeiro aumento desde 2007.

O Governo conservado britânico baixou as suas previsões de crescimento económico e espera que o PIB se expanda 1,5% em 2017, 1,4% em 2018 e 1,3% em 2019 e 2020.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Banco de Inglaterra mantém taxas de juro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião