Goldenergy vai manter os preços da energia em 2018

Como resposta "às recentes notícias sobre aumentos", a Goldenergy não vai subir preços e oferece uma tarifa igual à do mercado regulado, que vai descer 0,2% já na próxima semana.

Após a EDP Comercial ter comunicado que vai “atualizar as tarifas”, ou seja, aumentar em média 2,5% as tarifas da eletricidade, para os clientes que estão no mercado liberalizado, a Goldenergy, optou por não subir os preços no próximo ano, disse ao ECO o presidente executivo da elétrica.

“Tentamos acomodar as variações do mercado grossista e não passar esses custos para os nossos clientes. Estamos preparados para oferecer condições positivas não subindo os preços no próximo ano e ainda fazendo ofertas competitivas para os nossos clientes”, disse Nuno Moreira, que dirige uma das empresas que funciona no mercado liberalizado.

Estamos preparados para oferecer condições positivas não subindo os preços no próximo ano e ainda fazendo ofertas competitivas para os nossos clientes.

Nuno Moreira

CEO Goldenergy

Além disso, a empresa vai dar a possibilidade de os seus clientes terem uma tarifa idêntica à praticada no mercado regulado, tal como ficou definido por lei, onde podem beneficiar de uma redução de 0,2% em 2018. A Goldenergy, em comunicado às redações, afirmou que “considera importante ir ao encontro da decisão aprovada este ano pelo Parlamento, de possibilitar às famílias que mudaram para o mercado livre de eletricidade possam regressar aos valores de tarifa praticados pelo regime regulado”. Ou seja, terem acesso ao mesmo valor que é praticado pela EDP Universal, sem terem de mudar de operador e mantendo-se no mercado liberalizado.

Claramente apontada como uma resposta “às recentes notícias sobre aumentos de preços na eletricidade para o próximo ano“, a elétrica da zona norte do país deixa claro que “já a partir de 1 de janeiro do ano, os preços podem descer para o universo de clientes que optem pelo regresso à tarifa equiparada ao mercado regulado”. A Goldenergy vem assim cumprir o que está estipulado na lei.

Como divulgou a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), as tarifas de eletricidade no mercado regulado vão descer 0,2% para os clientes domésticos a partir de dia 1 de janeiro, algo que não acontecia desde 2000. A redução representa uma diminuição de nove cêntimos para uma fatura mensal de 45,7 euros.

Nuno Moreira, presidente da Goldenergy, considera que esta “é uma redução de preços possível, que beneficia e protege o consumidor”, sendo que “o mercado é livre, as pessoas podem mudar de operador as vezes que quiserem com a frequência que entenderem”. Segundo os últimos dados da ERSE, a Goldenergy conta com 1,9% da quota de mercado.

(Artigo atualizado às 11h00, com mais informação e declarações do CEO da Goldenergy)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Goldenergy vai manter os preços da energia em 2018

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião