CTT passam a ter de entregar quase todo o correio normal em cinco dias

Novos objetivos do serviço postal universal estabelecem que o correio normal seja quase todo entregue no prazo máximo de cinco dias. Para o correio azul, são três.

A partir de 1 de julho, os CTT CTT 0,66% vão ter de entregar quase todo o correio normal até um prazo máximo de cinco dias a contar a partir do momento em que a carta é depositada no marco do correio ou entregue num posto. Esta é uma das principais alterações aos objetivos do serviço postal universal que a Anacom apresentou esta quinta-feira.

Na prática, 96,3% do correio normal terá de ser entregue até três dias, enquanto 99,9% do correio tem de chegar ao destino em cinco dias. No caso do correio azul, com destino em Portugal continental, 94,5% tem de chegar ao destino num dia, enquanto 99,9% tem de ser entregue até três dias. Ou seja, no limite, a carta tem de chegar ao destinatário em três dias, havendo uma curta margem para os CTT falharem neste aspeto.

Os novos critérios estabelecidos pela Anacom para os CTT deixam de ter um valor mínimo aceitável. Ou seja, os Correios deixam de ter uma meta de cumprimento para passarem a ter de cumprir todo o objetivo em pleno. É uma forma encontrada pela Anacom para obrigar a empresa de Francisco de Lacerda a manter os padrões de qualidade do serviço postal universal depois de, em 2016, ter concluído que 2,3 cartas em cada 1.000 não chegaram ao destino no prazo máximo de 15 dias — critério esse que deixa agora de existir.

Há ainda novidades para as encomendas. No caso de objetos enviados de e para território nacional, os CTT terão de entregar 96,3% dos objetos até três dias depois de serem expedidos, enquanto quase a totalidade terá de chegar ao destino em cinco dias. A lista dos critérios completos e respetiva comparação com os atualmente em vigor pode ser consultada no quadro abaixo:

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CTT passam a ter de entregar quase todo o correio normal em cinco dias

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião