Portuguesa Unbabel capta 23 milhões de dólares em investimento

Startup acaba de levantar 23 milhões de dólares em investimento. Unbabel dedica-se à tradução com recurso à inteligência artificial aliada à pós-edição humana, para ajudar os negócios mundiais.

A startup portuguesa Unbabel acaba de levantar 23 milhões de dólares (cerca de 19,2 milhões de euros), numa nova ronda de financiamento (série B). A empresa dedica-se à tradução automática com recurso à inteligência artificial aliada à pós-edição humana, facilitando os negócios mundiais.

O investimento foi liderado pela Scale Venture Partners e contou com a participação da Microsoft Ventures, Salesforce Ventures, Samsung Next, Notion Capital, Funders Club, bem como da Caixa Capital, da Caixa Geral de Depósitos.

“Começámos esta empresa com a ambição de alcançar os 70% de utilizadores da Internet que não falam inglês, nem mesmo como segunda língua. No entanto, a procura das marcas globais por uma solução que lhes permita dar apoio aos seus clientes na sua língua nativa cresceu tão rapidamente que a Unbabel precisa agora de dar este passo de crescimento para ser capaz de atendê-las”, sublinhou, em comunicado, o líder executivo da Unbabel.

Unbabel foi fundada por Vasco Pedro, Sofia Pessanha, Bruno Silva, Hugo Silva e João Graça, em agosto de 2013.

Vasco Pedro refere que a língua é a última barreira a vencer pelas empresas que querem crescer a nível global. A startup avançou ainda que o capital captado será usado para expandir o negócio internacionalmente e desenvolver o produto.

De acordo com o diretor da Samsung Next, Nick Nigam, esta empresa está a permitir “uma comunicação sem fronteiras, de maneira profissional, escalável e acessível”. Já Itxaso del Palacio Aguirre, da Microsoft Ventures, realçou que a Unbabel “oferece uma solução única para ajudar empresas a alcançar mais clientes, com mais eficácia, de forma escalável”. “Nunca foi tão simples integrar a tradução num fluxo normal de trabalho, com uma tão boa relação custo-benefício“, enfatizou também Andy Vitus, da Scale Venture Partners.

Esta é a segunda ronda de financiamento bem-sucedida da Unbabel. Em outubro de 2016, a companhia tinha conseguido cinco milhões de dólares (pouco mais de 4,1 milhões de euros), numa ronda de financiamento série A, operação realizada na fase inicial destas novas empresas.

Atualmente, a Unbabel já conta com clientes bem conhecidos como a Facebook (Oculus), o Buzzfeed, a Booking.com, a Easyjet, a Under Armour, o Vimeo e o Soundcloud. A ligação que agora se cria à Microsoft, Samsung e Salesforce deverá ajudar a empresa a aprofundar o seu reconhecimento, no ecossistema empresarial.

Em setembro, a revista Wired considerou, pela segundo ano consecutivo, a Unbabel uma das startups “mais sexy” da Europa”.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portuguesa Unbabel capta 23 milhões de dólares em investimento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião