PGR confirma “dirigente desportivo” constituído arguido

  • Marta Santos Silva
  • 30 Janeiro 2018

O Ministério Público confirma ter detido cinco pessoas e constituído outros seis arguidos, entre os quais estarão incluídos, de acordo com a imprensa, o juiz Rui Rangel e Luís Filipe Vieira.

O inquérito encontra-se em segredo de justiça, mas o Ministério Público, num comunicado enviado às redações, confirmou a realização de buscas em conjunto com o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e a Polícia Judiciária, com cinco pessoas detidas, incluindo dois advogados e um oficial de justiça, e seis outras pessoas constituídas arguidas, entre elas “um dirigente desportivo”.

Com este comunicado, a Procuradoria-Geral da República vem dar peso às notícias, avançadas por meios incluindo o Público e a Lusa, de que Luís Filipe Vieira, dirigente do Benfica, teria sido constituído arguido no âmbito da chamada Operação Atlântico. O comunicado nomeia ainda a constituição como arguido de dois “juízes desembargadores”, um dos quais será Rui Rangel — candidato à liderança do Benfica em 2012. Em causa estarão suspeitas de “crimes de tráfico de influência”, e ainda de branqueamento e fraude fiscal.

“Entre os detidos estão dois advogados e um oficial de justiça, que serão presentes ao Conselheiro do STJ [Supremo Tribunal de Justiça] com funções de juiz de Instrução para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação”, lê-se no comunicado.

Além disso, esclarece o comunicado, “para além dos cinco detidos, as diligências levaram à constituição de mais seis arguidos. Entre estes estão dois juízes desembargadores e um dirigente desportivo. Foram também realizadas buscas em vários locais, na zona da Grande Lisboa e no Algarve, incluindo no Tribunal da Relação de Lisboa, em empresas, em escritórios de advogados e também em domicílios”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PGR confirma “dirigente desportivo” constituído arguido

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião