Chairman do Montepio em risco de ser vetado pelo BdP

  • ECO
  • 23 Fevereiro 2018

Francisco Fonseca da Silva, nome indicado para presidente da administração do Montepio pode não ter o aval do Banco de Portugal. Em causa estão as relações comerciais entre o gestor e o banco.

Não está fácil a vida para o Montepio. Depois da polémica à volta do nome de Nuno Mota Pinto, nome indicado para presidente executivo do banco, é agora a vez do nome indicado para presidente da administração estar também debaixo dos holofotes.

Segundo escreve o Público (acesso condicionado) na edição desta sexta-feira, depois do Jornal Económico durante o dia de quinta-feira ter avançado com a notícia no site, a nomeação de Francisco Fonseca da Silva, indicado pela Associação Montepio Geral para ser o próximo presidente do conselho de administração da Caixa Económica Montepio Geral (CEMG) está em risco. Em causa estão as relações comerciais que o grupo empresarial do gestor tem com o banco, e que impedem o Banco de Portugal (BdP) de lhe conceder o registo de idoneidade para gerir a instituição financeira.

O grupo de empresas de Francisco Fonseca da Silva tem créditos de 2,2 milhões de euros junto do Montepio, destacando-se a Food4Kings que explora em Portugal o restaurante Burger King. Apesar de os créditos estarem regularizados esta situação configura uma situação de conflito de interesses, segundo os critérios do BdP, adianta aquele diário.

O candidato a chairman da CEMG já pertence ao conselho geral e de supervisão desta instituição, um órgão com funções consultivas pelo que a questão nunca se tinha colocado anteriormente.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Chairman do Montepio em risco de ser vetado pelo BdP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião