É oficial: Altice Portugal abandona o nome “PT Portugal”. Mantém marcas Meo, Moche e PT Empresas

A Altice Portugal anunciou esta terça-feira a última fase do processo de reorganização interna e de marcas. Desaparece a "Portugal Telecom" e "PT Portugal", ficam a Meo, Moche e PT Empresas.

A administração da Altice Portugal anunciou esta terça-feira a última fase da reorganização de marcas da empresa, confirmando aquilo que o ECO anunciou em exclusivo no início deste mês. O grupo vai deixar definitivamente as designações “PT Portugal” ou “Portugal Telecom” para adotar uma única designação institucional. A Altice Portugal manterá ainda três grandes marcas comerciais: Meo, Moche e PT Empresas, para além das marcas Sapo e Uzo.

O anúncio foi feito por Alexandre Fonseca, presidente executivo da companhia, num encontro com jornalistas na Altice Arena. “Temos noção de que houve alguma confusão em relação às marcas que representamos em Portugal — porque não dizê-lo?”, admitiu o gestor. Dito isto, anunciou: “Que não restem dúvidas: nós somos Altice Portugal. Altice será a marca que começarão a ver em edifícios emblemáticos de norte a sul do país. Sem pressas, sem pressões.” Já esta segunda-feira, o ECO tinha revelado em exclusivo a remoção do letreiro “Portugal Telecom” da sede da empresa em Picoas, que deverá dar lugar à marca e logótipo da Altice.

O presidente executivo da Altice Portugal acrescentou ainda: “Além de sermos Altice Portugal, não vamos abandonar algumas das marcas: vamos manter a marca Meo, vamos manter a marca Moche, vamos manter a marca PT Empresas, vamos manter a marca Uzo. Temos aqui um conjunto de marcas que são reconhecidas, históricas. Serão marcas comerciais, dos nossos produtos e serviços.”

Questionado acerca da intenção inicial de acabar com a marca Meo, Alexandre Fonseca garantiu que “a marca Meo não era para acabar” e que “nenhuma marca era para acabar”. Ainda assim, admitiu que, “eventualmente, poderá ter sido entendido em determinada altura um caminho ou outro”. A Altice também já tem um novo slogan para a Meo: “Humaniza-te.” E preparou um novo grafismo que começará, entretanto, a ser visto. Inclui frases como “partilhar é ser humano” ou “sonhar é ser humano”. “Toda esta dinâmica de marca vai estar integrada numa campanha”, disse João Epifânio, da administração da Altice Portugal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

É oficial: Altice Portugal abandona o nome “PT Portugal”. Mantém marcas Meo, Moche e PT Empresas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião