Resultados da Meo encolhem. Altice vai vender torres em Portugal

A Meo, operadora detida pela Altice, encerrou o ano passado com receitas de 2.164 milhões de euros, traduzindo uma queda de mais de 1% face a 2016. Já o lucro antes de impostos afundou quase 7%.

A operadora de telecomunicações Meo viu o seu lucro antes de impostos cair quase 7% em 2017, anunciou o grupo Altice. E isto num ano em que as receitas da telecom portuguesa recuaram mais de 1% para os 2.164,1 milhões de euros.

Segundo os resultados divulgados esta quinta-feira, o EBITDA da Meo — corresponde ao lucro obtido antes juros, impostos, depreciações e amortizações — caiu 6,73% para os 1.007,2 milhões de euros no ano passado. Em termos trimestrais, a operadora registou uma queda dos resultados de 6,7% para 245 milhões de euros, refletindo o “forte ambiente competitivo” em que opera.

Já no que toca a receitas, a Meo indica que faturou 536 milhões de euros no quarto trimestre de 2017, uma quebra de 1,8% face ao mesmo período de 2016. Importa sublinhar que essas receitas foram contabilizadas tendo já em conta um novo perímetro de atividades da operadora, que inclui serviços de apoio e exclui o negócio de voz internacional, entretanto colocado à venda. Assim, assumindo o antigo perímetro, antes desta reorganização, as receitas caíram 5,2% no trimestre, explica a Altice.

Recorde de novos clientes fibra

Ainda que as receitas totais tenham recuado, há notas de destaque no desempenho operacional da Meo. A operadora atingiu adições líquidas de clientes de 142 mil em 2017 (incluindo migrações de tecnologia), aproximadamente o dobro do ano passado, sendo o quarto trimestre determinante para este desempenho: atingiu um recorde de 43 mil novos clientes fibra.

Para a Meo, isto é o reflexo “do investimento acelerado na expansão da cobertura de fibra ótica”.

Por outro lado, a telecom capturou mais de 60% das adições líquidas do mercado de TV nos últimos três meses de 2017, “alcançando a liderança na aquisição de clientes de TV pela primeira vez em quatro anos”. A Meo diz ainda que “a rede da Altice Portugal já atingiu mais de quatro milhões de casas, prosseguindo o seu objetivo de alcançar uma cobertura nacional”.

Altice confirma planos para vender das torres em Portugal

Pressionado para reduzir a dívida, a Altice confirmou esta quinta-feira que planeia vender as torres de telecomunicações em Portugal e França. “O processo de venda está em curso”, indica o grupo francês.

As torres que o grupo detém em França e Portugal estão avaliadas entre três mil milhões a quatro mil milhões de euros e a administração já tinha admitido a possibilidade de alienar estes ativos depois das preocupações que se levantaram no ano passado acerca da capacidade para pagar os mais de 50 mil milhões de euros de dívida que acumulou ao longo de vários anos de aquisições. Confirma agora esta alienação numa altura em que já se sabe que há interessados: a American Tower e o grupo KKR.

Para reconquistar a confiança dos investidores, a empresa viu-se obrigada a anunciar a venda de ativos, como data centers na Suíça, o negócio da empresa na República Dominicana e torres de telecomunicações na Europa. Até agora, nunca tinha ficado claro se havia intenções de abranger neste plano a infraestrutura da Meo em Portugal.

(Notícia atualizada às 21h52)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Resultados da Meo encolhem. Altice vai vender torres em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião