Startup portuguesa recebe cheque de 25 mil euros do BPI

Portuguesa Immunethep foi uma das vencedoras dos prémios EmpreendedorXXI. Startup conquistou ouro na Categoria "Ciências da Vida" da iniciativa promovida pelo BPI e o CaixaBank.

O maior prémio de empreendedorismo da Península Ibérica acaba de ser atribuído, na categoria Ciências da Vida, à portuguesa Immunethep. O trabalho desta spin-off da Universidade do Porto tem como foco o desenvolvimento de imunoterapias baseadas na descoberta do mecanismo de virulência comum às bactérias que causam infeções mortais.

Três portuguesas ficaram no pódio, mas só uma conquistou o ouro.

O prémio EmpreendedorXXI foi promovido pelo BPI e o CaixaBank — através da gestora de capital de risco Caixa Capital Risc — e contou com 701 candidaturas ibéricas. Destas, quase centena e meia (146) tiveram assinatura portuguesa.

Além do triunfo da Immunethep (que está a desenvolver uma vacina contra as principais infeções bacterianas mortais), também a CoolFarm e a Heptasense conseguiram algum sucesso, ficando entre os três finalistas das suas categorias: Agroalimentar e Tecnologia de Informação, respetivamente. A primeira empresa desenvolve soluções agrícolas inteligentes enquanto a segunda oferece uma plataforma integrada de reconhecimento de gestos.

Estas três startups portuguesas vão agora ter acesso a um programa internacional de crescimento (organizado com a Singularity University e com a escola de negócios ESADE). Já a Immunethep receberá ainda um prémio de 25 mil euros.

Nas restantes categorias, saíram vencedoras as espanholas Genially, Sheetgo, Bound 4 Blue e Visual. Esta edição do EmpreendedorXXI distribuiu, no total, 490 mil euros.

Esta iniciativa já vai na 11ª edição, em Espanha, mas estreou-se esta ano em Portugal, com o alargamento da estratégica do CaixaBank a terra lusitanas, depois de ter adquirido o BPI, em fevereiro de 2017.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Startup portuguesa recebe cheque de 25 mil euros do BPI

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião