Ricardo Guimarães é o novo sócio da Linklaters

Ricardo Guimarães acaba de ser eleito sócio da Linklaters, que conta agora com um total de 497 sócios. O novo sócio integra o departamento de contencioso e arbitragem do escritório de Lisboa.

Ricardo Guimarães acaba de ser eleito sócio da Linklaters, que conta agora com um total de 497 sócios. Segundo António Soares, managing partner do escritório de Lisboa, “esta eleição representa, por um lado, o merecido reconhecimento pela Linklaters das qualidades pessoas e profissionais do Ricardo e, por outro lado, a continuada aposta da Linklaters no seu escritório de Lisboa e nos mercados por esta cobertos”.

Para Ricardo Guimarães, a sua eleição “representa o crescimento e o investimento, tanto num plano nacional como internacional, no departamento de contencioso e arbitragem do escritório de Lisboa, que só é possível com o reconhecimento e a confiança que os nossos clientes têm na qualidade do trabalho que temos desenvolvido. É um excelente incentivo para prosseguir na afirmação da Linklaters nas suas diferentes áreas de prática e, em particular, no contencioso e arbitragem, e, neste plano, para continuar a fazer ainda mais e melhor no futuro”.

O novo sócio integra o departamento de contencioso e arbitragem do escritório de Lisboa da Linklaters desde 2013, fazendo também parte do grupo internacional de arbitragem da Linklaters. A sua prática concentra-se em contencioso e arbitragem, como advogado e como árbitro, em matérias de direito público, contratos públicos, contratos de obras públicas, contratos de concessão de serviços públicos (em particular no setor da saúde, no setor rodoviário e no setor das águas e resíduos), em litígios de propriedade intelectual e em litígios de natureza societária ou comercial.

É associado do Círculo de Advogados de Contencioso e da Associação Portuguesa de Arbitragem, tendo sido membro do Conselho Permanente de Arbitragem (2008-2011), do Conselho Sub-40 (2011-2013), Vogal da Direção (2013) e atualmente membro do Conselho de Prática Arbitral Comercial. Integra a lista de árbitros do Centro de Arbitragem Comercial da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, do Instituto de Arbitragem Comercial da Associação Comercial do Porto, da Concórdia – Centro de Conciliação, Mediação de Conflitos e Arbitragem e do Centro de Arbitragem da Associação Portuguesa dos Mercados Públicos (APMEP).

No total, foram eleitos 27 novos sócios em todo o mundo, de 11 escritórios da Linklaters e em nove áreas de prática. 37% dos novos sócios são mulheres, o que vem reforçar a forte aposta da Linklaters na diversidade de género e o trabalho que tem vindo a ser feito neste sentido. A este propósito, Charlie Jacobs, senior partner da Linklaters, acrescenta que, “no ano passado, reconhecemos que teríamos de fazer mais para atingir a meta de género que fixámos, e é com grande prazer que nos vemos a superar essa meta em 2018. Iremos continuar a trabalhar arduamente para manter o ímpeto de alcançar este e outros objetivos de diversidade (da Linklaters). São um ponto absolutamente central na estratégia e ambição da Firma”, reforça.

Para o senior partner da Linklaters, este “nosso forte e talentoso grupo de novos partners é um reflexo de nossa estratégia de atrair, manter e investir nos melhores advogados da nossa rede global”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ricardo Guimarães é o novo sócio da Linklaters

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião