Metro de Lisboa vai gastar 210 milhões. Compra 14 composições

Metro de Lisboa vai modernizar as linhas Azul, Verde e Amarela e melhorar os sistemas de segurança e comprar 14 novas composições. Investimentos ascendem a 210 milhões de euros.

O Metropolitano de Lisboa foi autorizado a investir 210 milhões de euros na compra de 14 novas carruagens e na modernização dos sistemas de segurança e sinalização, avança um comunicado do Ministério do Ambiente.

O Conselho de Ministros desta quinta-feira aprovou uma “resolução que agiliza a execução das rubricas orçamentais relativas a empreitadas de grande e pequena dimensão nos domínios da manutenção e segurança das empresas públicas Transtejo, Soflusa, e Metropolitano de Lisboa, que aprova a Modernização dos Sistemas de Sinalização das suas linhas Azul, Verde e Amarela e a aquisição de novas composições“.

Na sequência desta decisão, o ministério de Matos Fernandes revela que o investimento será feito através de “leasing operacional e financiado pelo Fundo Ambiental”. O ministro das Finanças, que está a ser ouvido no Parlamento, especificou, segundo a Lusa, que a compra das 14 composições corresponde a sete comboios, cada um com duas unidades triplas, e que terá um custo de 110 milhões de euros. Já o novo sistema de sinalização e segurança representa um investimento de 100 milhões

Como o sistema atual “data dos anos 70”, o investimento vai reforçar a “segurança do serviço, o controlo e reorganização automática dos horários em situações de perturbação na circulação e o aumento das frequências de serviço, através da redução do intervalo entre comboios”, esclarece o ministério no mesmo comunicado.

Recorde-se que o Metro de Lisboa, em conjunto com o do Porto, vai poder usa cerca de 180 milhões de euros do Fundo de Coesão para financiar a expansão das linhas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Metro de Lisboa vai gastar 210 milhões. Compra 14 composições

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião