Ações do Sporting descongeladas. Títulos recuperam 5% depois da queda

Os títulos em bolsa do clube estiveram a cair mais de 30%, depois de uma subida de 40%. As ações foram congeladas, mas já voltaram a negociar. Recuperam 5%.

As ações do Sporting estiveram congeladas esta sexta-feira no PSI Geral da bolsa de Lisboa. O congelamento dos títulos da SAD verde e branca aconteceu na sequência de uma subida de mais de 40% no valor dos títulos na sessão anterior, seguida de uma queda superior a 30%, para perto dos 60 cêntimos por ação. A meio da tarde, as ações do Sporting foram descongeladas. Encerraram a subir 5% para os 63 cêntimos.

A bolsa tem um mecanismo de segurança que é automaticamente ativado quando um título varia mais de 2% entre negócios ou mais de 10% desde o início da sessão. Ou seja, foi o que aconteceu neste caso: dada a queda de mais de 30%, esse mecanismo foi ativado e os títulos foram congelados, explicou ao ECO fonte oficial da Euronext.

O descongelamento das ações do Sporting deu-se apenas às 15h30 porque, ao contrário das ações do PSI-20, que tendencialmente têm maior liquidez, os títulos do Sporting negoceiam em bloco. Ou seja, as cotações só são atualizadas às 10h30 e às 15h30, caso sejam dadas ordens de compra em número superior às ordens de venda.

De notar também que as ações da SAD leonina têm baixa liquidez. Nos últimos três meses, foram transacionadas, em média, 1.189 ações em cada sessão, pelo que estão mais propensas a subidas e a descidas mais expressivas no seu valor face a transações de maior volume. Esta sexta-feira, já foram transacionadas cerca de 5.200 ações.

(Notícia atualizada às 18h56 com a cotação de fecho das ações do Sporting)

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ações do Sporting descongeladas. Títulos recuperam 5% depois da queda

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião