Já pode saber se os seus dados de Facebook foram usados pela Cambridge Analytica

  • Rita Frade
  • 10 Abril 2018

Os utilizadores do Facebook já podem saber se a Cambridge Analytica acedeu ou não aos seus dados. Basta aceder ao centro de ajuda da rede social.

Os utilizadores do Facebook não vão ter de esperar mais para saber se os dados foram ou não “roubados” pela sociedade de consultoria britânica, Cambridge Analytica. Basta, para isso, aceder ao centro de ajuda da rede social, aqui.

A rede social irá rapidamente informar o utilizador se os seus dados foram partilhados com a Cambridge Analytica, através da aplicação “This Is Your Digital Life”. Caso isso não tenha acontecido, esta será a imagem que irá aparecer no ecrã:

Mensagem que indica que os dados do utilizador não foram partilhados com a Cambridge Analytica.Facebook

O Facebook anunciou no seu blogue, a 4 de abril, que a partir desta segunda-feira os utilizadores iriam começar a receber notificações no seu “feed” de notícias para saber se a Cambridge Analytica acedeu ou não aos seus dados: “Iremos dizer às pessoas se as suas informações foram partilhadas de forma imprópria pela Cambridge Analytica“, podia ler-se.

Os utilizadores afetados irão, assim, ver uma mensagem igual à que aparece na imagem do meio ou na da direita. Por outro lado, os que não foram afetados irão ver surgir no seu ecrã uma mensagem igual à da esquerda.

Versões das mensagens que o Facebook está a enviar aos utilizadores.Facebook

Uma das três notificações irá, desta forma, surgir no ecrã do utilizador informando-o como pode ver quais as aplicações que utiliza e quais os dados partilhados com as mesmas.

O Facebook estima que a informação de 87 milhões de utilizadores, entre os quais estarão mais de 60.000 portugueses, pode ter sido partilhada de forma indevida com a Cambridge Analytica.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Já pode saber se os seus dados de Facebook foram usados pela Cambridge Analytica

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião