DBRS vê Totta a cimentar posição como segundo maior banco em Portugal

  • Rita Atalaia
  • 12 Abril 2018

A agência de notação canadiana está mais otimista em relação ao Totta. Subiu o rating do banco para A (baixo), depois de ter melhorado a notação da casa-mãe mas também de Espanha.

O Santander Totta está preparado para cimentar a sua posição enquanto segundo maior banco em termos de ativos em Portugal. A conclusão é da DBRS, o que levou a agência canadiana a subir a notação do banco liderado por António Vieira Monteiro para A (baixo), depois de ter também melhorado a notação da casa-mãe, o Banco Santander. Estas melhorias, a que se junta a do CaixaBank, acompanham o aumento do otimismo em torno de Espanha.

“Com a aquisição do Banco Popular Portugal, a DRBS vê o Banco Santander Totta a cimentar ainda mais a sua posição enquanto segundo maior banco em Portugal“, afirma a DBRS numa nota. O Totta assumiu esta posição no ano passado depois de ter comprado o Popular Portugal, superando o BCP. Só a Caixa Geral de Depósitos é maior que o banco de António Vieira Monteiro.

Foi em junho do ano passado que o Totta passou “a deter uma quota de mercado de cerca de 17%, tornando‐se no maior banco privado português em termos de ativos e de crédito e um dos maiores em termos de recursos”.

"Com a aquisição do Banco Popular Portugal, a DRBS vê o Banco Santander Totta a cimentar ainda mais a sua posição enquanto segundo maior banco em Portugal.”

DBRS

A agência subiu o rating do Santander Totta para A (baixo), com perspetiva estável, assumindo que “a casa-mãe vai apoiar o Totta de forma atempada, já que qualquer perceção de falta de suporte iria ter consequências reputacionais substanciais”.

A melhoria do rating do Totta acompanha o mesmo movimento na notação do Banco Santander. A DBRS subiu para A (alto), mantendo a perspetiva estável. A ajudar esta revisão em alta esteve o facto de DBRS também ter elevado o rating de Espanha. “A melhoria do rating [do Santander] deve-se à subida da notação do soberano, mas também das tendências em torno dos resultados e perfil de risco do banco”, refere a agência de notação.

O Grupo Santander não foi o único a beneficiar do aumento do otimismo em torno de Espanha. O CaixaBank, que detém o BPI em Portugal, também viu o seu rating subir para A, com a DRBS a considerar que o aumento da notação do país vai “traduzir-se numa melhoria da qualidade dos ativos e rentabilidade”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

DBRS vê Totta a cimentar posição como segundo maior banco em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião