O que diz o The Legal 500 do mercado português

The Legal 500 já revelou a lista das melhores firmas de 2017, divididas por 18 categorias. O diretório é uma referência no setor, fazendo a análise comparativa de mais de 100 jurisdições.

A The Legal 500 divulgou ontem a sua lista para as melhores firmas de 2017, dividida por 18 categorias. The Legal 500 é um dos mais prestigiados diretórios de advocacia que identifica e recomenda as principais sociedades e advogados através da avaliação por bandas ou rankings, de acordo com um processo de investigação independente.

A Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados (MLGTS) é a firma portuguesa com mais recomendações em ‘Tier 1’. No ranking referente a Portugal, a MLGTS é destacada em 17 áreas de prática em ‘Tier 1’, seguida da Vieira de Almeida (VdA) e da PLMJ, cada uma com 12.

Segundo a publicação, Portugal apresentou uma situação económica favorável, “a recuperar de uma recessão”, com índices de consumo crescentes. “Os fundos de private equity internacionais, em particular, são cada vez mais visíveis num mercado em que os setores de turismo e imobiliário estão particularmente ativos. Com a Autoridade da Concorrência de Portugal a intensificar a sua atividade de fiscalização, os advogados estão cada vez mais retidos para auditorias de conformidade. Do ponto de vista do cliente privado, indivíduos com um alto património líquido estão a ser atraídos para o país, e os escritórios de advocacia têm aumentado as suas ofertas de gestão de riqueza”, completa o ranking.

Entre algumas das grandes sociedades nacionais, o The Legal 500 destaca a Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados, a PLMJ e a Vieira de Almeida (VdA). E ainda as sociedades ibéricas como a Cuatrecasas, a Garrigues Portugal e a Uría Menéndez – Proença de Carvalho, como umas das mais ativas do mercado. “Com a integração da DLA Piper na firma local ABBC (Azevedo Neves, Benjamim Mendes, Carvalho & Associados) em março de 2017, a terceira firma a nível internacional — ao lado da Linklaters e da CMS — tem emergido no mercado português: a DLA Piper ABBC”.

O ranking dá ainda destaque para o surgimento de novos escritórios boutique em Portugal em 2017, como a Filipe Azoia & Associados, vocacionada para a área do direito do trabalho e do direito da saúde, e a JCG Advogados, especializada na área de tax and legal. A Andersen Tax and Legal | NGMS – Sociedade de Advogados e a RRP Advogados, que coopera com a EY — Ernst & Young, exemplificam o crescente destaque das consultoras neste meio. Entre as transações de advogados relevantes, salienta-se a da boutique de direito público, energético e ambiental Lino Torgal & Associados, que se juntou à Garrigues Portugal, e a da César Bessa Monteiro com a sua equipa da pbbr – Sociedade de Advogados RL para a Abreu Advogados.

As várias sociedades nacionais e advogados foram distinguidos nas seguintes categorias:

  • Banking and finance;
  • Capital markets;
  • Commercial, corporate and M&A;
  • Dispute resolution;
  • EU and competition;
  • Employment;
  • Energy and natural resources;
  • Fraud and white-collar crime;
  • Insolvency and restructuring;
  • Intellectual property;
  • Oporto: Leading commercial firms;
  • Planning law;
  • Projects and project finance;
  • Public law;
  • Real estate and construction;
  • TMT;
  • Tax;
  • Transport.

Pode consultar a lista detalhada dos premiados, por categoria, aqui.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

O que diz o The Legal 500 do mercado português

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião