CDS vai propor eliminação da taxa extraordinária sobre os combustíveis

O partido vai propor a "eliminação imediata da taxa extraordinária de imposto sobre combustíveis", por considerar que esta "asfixia muito as famílias e a própria economia".

Pedro Mota Soares adiantou que o partido vai propor a “eliminação imediata da taxa extraordinária de imposto sobre combustíveis”, aplicada pelo Governo desde 2016, por considerar que esta “asfixia muito as famílias e a própria economia”. A medida está em cima da mesa numa tentativa de diminuir a carga fiscal e promover o crescimento da própria economia.

“No ano passado, a carga fiscal e contributiva foi a mais alta desde que temos registo“, começou por dizer o deputado do CDS-PP, na Assembleia da República, em declarações transmitidas pela RTP3. Desta forma, o aumento da carga fiscal verificado o ano passado representa um problema que necessita de ser resolvido. “Só em 2017, a sociedade portuguesa, as empresas e as famílias, pagaram 71 mil milhões de euros em impostos e contribuições“, disse, explicando que esse valor representou “quase a totalidade do empréstimo que Portugal teve que recorrer quando esteve à beira da bancarrota”.

Neste sentido, o partido vai propor “a eliminação imediata da Taxa Extraordinária de Imposto sobre Combustíveis que foi cobrada desde o início de 2016″, argumentando que esta está “acima da média da zona euro e da Europa”. “Entendemos que o peso desta fiscalidade asfixia muito as famílias e a própria economia”, referiu Pedro Mota Soares.

Em inícios de fevereiro, os partidos apresentaram projetos de lei para tornar a fatura dos combustíveis mais detalhada, de modo a aumentar a transparência do preço final. Esta medida foi aplaudida pelas gasolineiras, por considerarem que fará “sobressair a elevada carga” fiscal no setor e “levar o Governo a rever a taxa do ISP”.

Para o CDS-PP há ainda outro tema que carece de preocupação: o investimento público e o Investimento Direto Estrangeiro (IDE), de base industrial. “Entendemos que o investimento público também é importante para realçar o nosso crescimento, preocupa-nos que fique muito abaixo de valores que eram o valor de 2015, e isso retira-nos alguma competitividade”, afirmou o deputado.

Por sua vez, o IDE “está a cair em Portugal”, sendo “muito importante para se poder sustentar um modelo de crescimento económico no futuro”. Assim, “há uma perda da própria produtividade da sociedade portuguesa”, o que, para Pedro Mota Soares, é sinal de que “os postos de trabalho que estão a ser criados nos últimos anos são postos de menor índice de qualificação”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

CDS vai propor eliminação da taxa extraordinária sobre os combustíveis

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião