Chambers and Partners premeia PLMJ pela qualidade do seu “Serviço ao Cliente”

O prémio de “Client Service Law Firm of the Year” foi atribuído na passada sexta-feira pelo diretório Internacional, numa cerimónia em Madrid onde estiveram presentes alguns sócios da PLMJ.

A PLMJ Advogados acaba de arrecadar o prémio de Client Service Law Firm of the Year nos Chambers Europe Awards 2018, pele serviço prestado aos seus clientes. De acordo com a Chambers and Partners, entidade que atribui o prémio, os clientes identificam o capacidade de entender o seu negócio, a mentalidade business oriented, o drive comercial e sentido prático, para além da disponibilidade dos advogados.

Nomeada também para Portuguese Law Firm of the Year, o prémio de “Client Service Law Firm of the Year” foi atribuído na passada sexta-feira por este diretório Internacional, numa cerimónia em Madrid onde estiveram presentes os sócios da PLMJ Luís Pais Antunes, Paulo Farinha Alves e Nuno Cunha Barnabé.

Para Luís Pais Antunes, Managing Partner de PLMJ, “de entre os muitos prémios que temos recebido ao longo dos anos, este é talvez aquele de que mais nos devemos orgulhar, já que traduz o reconhecimento daquele que tem sido nestes 50 anos o primeiro e principal objetivo dos advogados PLMJ: o foco no Cliente e a firme defesa dos seus direitos e interesses”.

Numa análise global dos rankings deste ano publicados em Março, a PLMJ foi mais uma vez destacada em 20 do total de 21 áreas analisadas. Band One em 11 áreas e com 58 advogados a colher recomendações individuais, PLMJ é a sociedade de advogados em Portugal com mais profissionais em Top Bands (somando as Bands 1 e 2 com os Senior Statesman, Star Individuals e Eminent Practitioner), com um total de 33 Advogados nestas categorias.

Os prémios Chambers Europe Awards visam distinguir as sociedades de advogados que mais se tenham destacado na prática da advocacia, tendo por base as operações que marcaram o último ano, o crescimento estratégico e a excelência no atendimento ao cliente, determinados pela Chambers, uma das mais antigas entidades que avalia o mercado da advocacia mundial.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Chambers and Partners premeia PLMJ pela qualidade do seu “Serviço ao Cliente”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião