Bruno de Carvalho não sai. Ações do Sporting sobem 13%

A sangria das ações do Sporting SAD parou. Após um tombo de mais de 17% e de o presidente do clube se recusar em abandonar o cargo, títulos da SAD recuperam 13%.

Não nos vamos demitir“. Foi assim que Bruno de Carvalho reagiu, quinta-feira, à noite ao que chamou de “um ataque interno e externo sem precedentes na sua história” ao Sporting. Apesar da crise no clube, que afundou as ações na última sessão, assiste-se a uma recuperação dos títulos nesta sexta-feira.

Os títulos da SAD do Sporting subiram 4,76%, para os 66 cêntimos na primeira chamada a negociação desta sexta-feira — as ações da SAD são negociadas por chamada, não em contínuo, apenas duas vezes por dia. Esses ganhos, entretanto, intensificaram-se na segunda chamada a negociação dos títulos que valorizam 13,49%, para os 71,5 cêntimos. As ações recuperam quase a totalidade da desvalorização de 17,11% registada na última sessão.

Ações do Sporting recuperam

As ações corrigem da queda acentuada provocada pela forte incerteza no seio do clube de Alvalade espoletada pela invasão de cerca de 50 adeptos do clube na passada terça-feira, às instalações da Academia de Alcochete, onde agrediram jogadores e equipa técnica enquanto decorria o treino da equipa principal a dias da final da Taça de Portugal de futebol.

Desde esses acontecimentos foram muitos os apelos para que Bruno de Carvalho abandonasse os destinos do clube de Alvalade, com sucessivos pedidos de demissão por parte de diversas individualidades, com o objetivo de estancar a crise que está a afetar o Sporting.

Uma das mais relevantes vozes a levantar-se nesse sentido foi a de Álvaro Sobrinho. O empresário angolano que lidera os destinos da Holdimo, que é a segunda maior acionista do Sporting SAD com 30% das suas ações, pediu nesta quinta-feira a demissão de Bruno de carvalho, dizendo que este não merece confiança” e que “está a pôr em risco os ativos da empresa.

Em declarações à SIC Notícias, Álvaro Sobrinho colocou mesmo em causa a permanência da Holdimi no capital da SAD leonina caso o presidente do Sporting não se demitisse. “Aí, a Holdimo terá de rever a sua posição”, na SAD admitiu o empresário, tentando encostar Bruno de Carvalho “à parede” e forçar a sua demissão. Sobrinho salientou que “é na SAD e não no clube que existem os maiores estragos” e disse que caso Bruno de Carvalho e a restante direção não se demitissem iria convocar uma assembleia-geral da SAD.

Bruno de Carvalho parece fazer “ouvidos moucos” e não se demite, na conferência de imprensa que decorreu na noite de apenas revelado a intenção de convocar uma assembleia-geral extraordinária do clube a realizar-se após a final da Taça de Portugal.

(Notícia atualizada às 15h34 com novas cotações)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Bruno de Carvalho não sai. Ações do Sporting sobem 13%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião