Vender na OPA pode render 1,5 milhões de euros à gestão da EDP. Mas Mexia não é quem tem mais a ganhar

Se António Mexia vendesse as ações da EDP que detém ao preço oferecido pela CTG amealharia 297 mil euros. Mas Miguel Stilwell, administrador financeiro da elétrica, receberia mais: 456 mil euros.

A Oferta Pública de Aquisição (OPA) da China Three Gorges (CTG) não entusiasma. O preço oferecido é baixo. É esta a avaliação feita pelos investidores, mas também pela gestão da empresa, que é ao mesmo tempo acionista da elétrica. Não concordam com o preço, mas se decidissem vender os títulos que detêm ao preço que está a ser oferecido amealhariam mais de 1,5 milhões de euros. E não seria António Mexia quem arrecadaria mais com este negócio.

O relatório do conselho de administração onde a EDP oficializa a sua posição face à oferta pública de aquisição da CTG, dá conta que oito dos seus elementos detêm ações da elétrica. No total, os membros do conselho de administração são titulares de 476.541 ações da EDP. Caso alienassem esses títulos ao preço unitário de 3,26 euros que está a ser oferecido pelos chineses, estes iriam arrecadar cerca de 1,55 milhões de euros.

Ações detidas pelos membros da equipa de gestão da EDP

Quase um terço desse montante iria para apenas um dos membros da equipa de gestão da elétrica. Mas não iria para o bolso de António Mexia, presidente executivo da EDP. A maior fatia do bolo caberia sim a Miguel Stilwell de Andrade, administrador financeiro da empresa.

Enquanto António Mexia detém 91 mil ações da EDP, avaliadas em 296,66 mil euros ao preço da OPA, Miguel Stilwell que em abril se mudou da presidência da EDP Comercial para substituir Nuno Alves no cargo de administrador financeiro da elétrica tem 140 mil ações da EDP. Posição que corresponde a 30% total de ações detidas pelos membros do conselho de administração da elétrica, e que lhe permitiriam amealhar 456,4 mil euros numa eventual alienação ao preço oferecido pelos chineses.

Entre os restantes elementos da equipa de gestão da EDP que detêm posições mais elevadas incluem-se João Marques da Cruz, com perto de 80 mil ações avaliadas em mais de 259 mil euros ao valor da OPA. Segue-se-lhe Maria Teresa Pereira, com mais de 71 mil ações, avaliadas em mais de 232 mil euros.

Comentários ({{ total }})

Vender na OPA pode render 1,5 milhões de euros à gestão da EDP. Mas Mexia não é quem tem mais a ganhar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião