iPhones reparados por terceiros eram desativados pela Apple

A Justiça australiana deu como provado que a Apple usava atualizações para desativar iPhones que tinham sido reparados em lojas não oficiais. Empresa tem de pagar multa de 6,7 milhões de dólares.

A Apple foi condenada a pagar o equivalente a 6,7 milhões de dólares pela Justiça australiana, no âmbito de um processo relacionado com o software do iPhone. O tribunal deu como provado que a empresa usou atualizações do sistema para desativar equipamentos que tinham sido reparados em locais não reconhecidos oficialmente pela marca. O processo foi movido por um regulador.

Na prática, a empresa liderada por Tim Cook foi acusada de recorrer a atualizações de sistema para desativar por completo os iPhones de clientes que tinham reparado os seus telemóveis em oficinas independentes e não autorizadas pela Apple. A marca terá recusado reativar os aparelhos a cerca de 275 clientes com base nestes motivos, alega a Australian Competitor and Consumer Commision, de acordo com a notícia avançada pela Reuters.

A agência indica que o tribunal decidiu a favor da acusação, com base no argumento de que as empresas devem prestar todas as garantias aos consumidores que estão previstas na legislação australiana. A Apple deverá compensar os clientes afetados por esta atualização de software e estará a colaborar com as autoridades regulatórias nesse sentido. Até ao momento, segundo a Reuters, a empresa terá contactado cerca de 5.000 clientes afetados por este problema.

Comentários ({{ total }})

iPhones reparados por terceiros eram desativados pela Apple

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião