Sporting dispara 10% depois da destituição de Bruno de Carvalho. Liquidez reduzida

O Sporting disparou esta manhã em bolsa, depois de os sócios terem aprovado no sábado a destituição de Bruno de Carvalho, mas com um volume de transações reduzido.

O Sporting disparou esta manhã em bolsa, depois de os sócios terem aprovado na Assembleia Geral deste sábado a destituição do Conselho Diretivo do clube, liderado por Bruno de Carvalho.

As ações da SAD leonina, que negoceiam por chamada, valorizaram 9,86% para 0,78 euros. Apenas 100 ações trocaram de mãos, em mais uma sessão de baixa liquidez que caracteriza o comportamento das sociedades desportivas no mercado bolsista.

Quase 15 mil sócios sportinguistas votaram e a maioria (cerca de 71%) decidiu aprovar a saída de Bruno de Carvalho do cargo de presidente do clube na reunião magna extraordinária realizada este sábado no Altice Arena, em Lisboa.

Este domingo, depois da Comissão de Gestão liderada por Torres Pereira ter indicado Sousa Cintra para liderar a SAD leonina (dona de 64% do clube) e uma auditoria forense às contas, Bruno de Carvalho informou no Facebook que vai impugnar a Assembleia Geral e anunciou uma candidatura às próximas eleições que estão agendadas para o dia 8 de setembro.

Ações leoninas recuperam

Fonte: Reuters

“Agora acabou. Querem guerra. Eu compro! Vou impugnar a Assembleia Geral e o Presidente da SAD ainda sou eu”, escreveu Bruno de Carvalho num post publicado naquela rede social.

“Por muito que me queira afastar, não consigo! Bem sei o que disse amargurado, traído, ferido, que não queria ser mais adepto nem sócio, mas não consigo… Amo-te Sporting e quero continuar a acreditar num Sporting sem Viscondes ou com eles remetidos ao seu lugar: calados”, referiu ainda.

Sousa Cintra, que já foi presidente do Sporting nos anos 90, foi impedido esta segunda-feira de entrar em Alvalade para iniciar funções porque o ex-presidente não está a permitir o acesso às instalações do clube. A nova equipa da SAD está a ponderar chamar as autoridades para resolver o impasse.

(Notícia atualizada às 11h01)

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sporting dispara 10% depois da destituição de Bruno de Carvalho. Liquidez reduzida

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião