Linklaters e PLMJ promovem e participam no primeiro evento realizado pela Arbitral Women em Lisboa

Lisboa recebe pela primeira vez uma iniciativa da Arbitral Women, uma organização não governamental internacional que promove o envolvimento de mulheres na resolução de litígios internacionais.

Lisboa recebe pela primeira vez uma iniciativa da Arbitral Women, uma organização não governamental internacional que tem como principal objetivo promover a participação e envolvimento de mulheres na área da resolução de litígios internacionais.

O encontro realiza-se hoje em Lisboa, no The House, e terá como oradoras Elena Gutierrez (árbitro e membro do Board do Arbitral Women), Raquel Galvão Silva (advogada da Linklaters e membro da organização) e Filipa Cansado Carvalho (advogada da PLMJ). Esta iniciativa visa sobretudo divulgar as atividades e o papel da organização ao longo dos anos e estimular a troca de ideias entre os participantes.

Com mais de mil membros de mais de 40 países, esta rede agrega profissionais de diversas origens e culturas jurídicas, ativas na resolução de litígios internacionais, em diferentes papeis incluindo árbitro, mediador, especialista, juiz, advogado, consultor forense, entre outros.

É ainda uma fonte de informação sobre desenvolvimentos recentes e enquanto entidade goza de um estatuto de observador nas sessões do Grupo de Trabalho da UNCITRAL. Este evento tem o apoio da Câmara de Comercio Internacional e é promovido pela Linklaters e pela PLMJ.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Linklaters e PLMJ promovem e participam no primeiro evento realizado pela Arbitral Women em Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião