Vender negócio em Portugal? “É peça fulcral”, diz a Altice

A Altice garante que não há qualquer processo de venda do negócio em Portugal, até porque a Meo é uma "peça fulcral na sua estratégia. Desmente assim a notícia avançada na imprensa internacional.

A Altice Europe garante que não está a pensar vender a operação da Altice Portugal. A imprensa internacional escreveu que a companhia está a avaliar a hipótese de alienar o negócio no país à Telefónica ou à Orange, mas o grupo vem agora desmentir: a Meo “continua a ser uma peça fulcral na sua estratégia de crescimento”.

“É falso e infundado que a Altice Europe esteja a considerar vender a operação da Altice Portugal”, começa por dizer a dona da Meo, num comunicado enviado às redações. “Não há qualquer processo de alienação em análise. Trata-se de rumores sem fundamento, já que não há qualquer proposta de compra, nem é equacionada qualquer intenção de venda da operação em Portugal”, refere a companhia.

A empresa justifica ainda o porquê de considerar o negócio em Portugal uma “peça fulcral”. “É aqui que detém alguns dos principais ativos do grupo, como é exemplo o data center da Covilhã, a Altice Labs ou o projeto de infraestruturação de Portugal com fibra ótica”, refere no comunicado. “A Altice Portugal reforça que mantém a sua estratégia de Investimento, Inovação, Tecnologia e Intervenção Social no país, apostando em Portugal como um todo, numa lógica de proximidade ao território e aos portugueses”, conclui.

Esta sexta-feira, as ações da Altice negociaram em alta face à notícia da TMT Finance, dando conta da possibilidade de o grupo vir a alienar o negócio em Portugal. Os títulos da empresa liderada por Patrick Drahi valorizaram 3,73% para 3,284 euros cada ação. Segundo aquela publicação especializada, a Altice estará a avaliar a possibilidade de vender as operações em Portugal aos espanhóis da Telefónica ou aos franceses da Orange. A Altice detém ativos como a operadora Meo ou a PT Empresas.

(Notícia atualizada às 18h12 com mais informações)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Vender negócio em Portugal? “É peça fulcral”, diz a Altice

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião