Caldeira Cabral confiante na continuidade do Web Summit. Portugal fez uma “oferta competitiva”

Ministro da Economia fala de uma "negociação avançada" e de uma "oferta competitiva", e manifesta-se confiante na continuidade do maior evento de tecnologia e empreendedorismo em Lisboa.

Manuel Caldeira Cabral diz que a negociação para a continuidade do Web Summit em Portugal além de 2018 está “avançada” e as “perspetivas são positivas”. De acordo com o ministro da Economia, Portugal compete ao lado de outros países com uma “oferta competitiva”.

“Penso que os responsáveis pelo Web Summit, que mudaram para Portugal a sede da organização, querem cá continuar. E penso que vamos conseguir um bom resultado“, disse esta manhã Caldeira Cabral, em declarações aos jornalistas à margem do evento de apresentação do Startup Portugal+, a renovada estratégia nacional para o empreendedorismo.

O Web Summit realiza este ano a terceira edição em Portugal, período obrigatório do contrato assinado com o Governo português. Do acordo fariam ainda parte mais dois anos opcionais que, até agora, continuam por confirmar quer pela organização do evento, quer pelo Governo.

Entretanto, enquanto ainda decorrem as negociações, surgiram notícias que davam conta do interesse de cidades como Valência em albergar o evento criado em Dublin por Paddy Cosgrave e a sua equipa.

O evento, o maior do mundo da área, realiza-se na FIL e no Altice Arena entre 5 e 8 de novembro.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Caldeira Cabral confiante na continuidade do Web Summit. Portugal fez uma “oferta competitiva”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião