Marques Mendes: Debate do Estado da Nação foi “mais do mesmo”

No habitual comentário de domingo, Marques Mendes comentou o debate do Estado da Nação da última sexta-feira.

“Sobre o debate não retive nada de positivo. Foi mais do mesmo”, disse Marques Mendes. De acordo com o comentador, e depois da análise do debate do Estado da Nação da última sexta-feira.

“Acho que o país está evidentemente melhor do que há uns anos. Claro que o balanço é positivo. Mas devíamos estar melhor. Precisamos de um Serviço Nacional de Saúde de qualidade”, disse, sublinhando que Portugal precisa de “reformas” que sejam “sustentáveis para o futuro”.

“Na minha opinião, no estado do país, sublinho seis fatores positivos”, antecipou o comentador:

  • Boa imagem externa de Portugal, que agora “é visto como um país credível”
  • Crescimento económico acima de 2%
  • Baixa taxa de desemprego
  • Défice próximo do zero
  • Crescimento do turismo e das exportações
  • Melhoria do estado da banca

Mas nem tudo é bom, garante Marques Mendes, elencando também os aspetos negativos do estado da nação:

  • Dívida pública alta, “a grande falha do Governo e do país”
  • 20 países europeus crescem mais do que Portugal
  • Carga fiscal excessiva
  • Estado da saúde
  • Ausência de reformas

A entrevista de Augusto Santos Silva ao Público também mereceu comentário de Marques Mendes. “O primeiro-ministro veio afagar o ego à geringonça, mas não há aqui contradição”, assinalou o comentador. “O que disse Santos Silva foi certíssimo”, disse ainda.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Marques Mendes: Debate do Estado da Nação foi “mais do mesmo”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião