Millennials vão ficar para trás. Geração Z será maior já em 2019

Em 2019, a Geração Z deverá ultrapassar a Geração Y (millennials) em percentagem da população mundial. Nasceram a partir de 2001 e nunca conheceram o mundo sem internet.

Em breve, os verdadeiros nativos digitais deverão ultrapassar os millenials em percentagem da população mundial. A estimativa foi feita pela Bloomberg (acesso condicionado), que indica que, dentro de um ano, a Geração Z (pessoas nascidas a partir de 2001) deverá ter uma quota maior do que a da Geração Y (pessoas nascidas 1980 até 2000). Ao contrário dos millennials, a Geração Z nunca conheceu o mundo sem internet.

Segundo a análise da agência, em 2019, cerca de 32% da população mundial será composta por pessoas da Geração Z, percentagem que compara com a quota de 31,5% dos mellennials. A análise é particularmente relevante tendo em conta que quem nasceu em 2001 irá atingir os 18 anos já em 2019, a idade legal da maioridade em muitos países e a partir do qual se ganha o direito ao voto.

A Geração Z é composta puramente por nativos digitais, mas essa não é a única diferença entre esta nova classe social e os millennials. A Bloomberg cita um estudo da EY que indica que, enquanto a Geração Y (millennials) é tendencialmente mais egocêntrica, as pessoas da Geração Z são mais autoconscientes e capazes de indicar com grande rapidez se uma coisa é ou não relevante para si mesmas.

Por todos estes motivos, a notícia é particularmente positiva para as empresas de tecnologia e da nova economia da partilha, assim como para as fabricantes de gadgets, empresas de entregas de encomendas e outros players do mercado do comércio eletrónico.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Millennials vão ficar para trás. Geração Z será maior já em 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião