Cristas diz que Governo “está desmascarado” sobre o investimento na ferrovia

  • Lusa
  • 29 Agosto 2018

Assunção Cristas lamenta que os partidos que compõem a maioria parlamentar não tenham aprovado a proposta do CDS-PP para discutir já esta semana a situação da ferrovia.

A presidente do CDS-PP afirmou, esta quarta-feira, que o Governo “está desmascarado” quanto à “bandeira do investimento” nos transportes públicos, tendo em conta os prejuízos de 55 milhões de euros apresentados pela CP – Comboios de Portugal no primeiro semestre.

Em Viana do Castelo, depois de uma viagem a bordo de uma embarcação de mariscadores até à freguesia de Darque, Assunção Cristas, reafirmou que a ferrovia é um “tema prioritário” para o CDS-PP, lamentando que os partidos da maioria na Assembleia da República não tivessem aceitado “já esta semana” discutir a questão.

“Entendemos que o desinvestimento na ferrovia por parte deste Governo, que sempre fez do investimento público e nos transportes públicos uma grande bandeira, neste momento está desmascarado”, respondeu a líder centrista quando confrontada com os números apresentados pela CP.

A CP registou 55 milhões de euros de prejuízo no primeiro semestre, que comparam com as perdas de 58 milhões de euros registadas no período homólogo, segundo foi comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) pela empresa.

“Tenho pena que não se possa estar já a discutir isto no parlamento. O CDS quis que houvesse já esta semana uma discussão no parlamento sobre esta matéria, os partidos da maioria entenderam que não era oportuno ou que não era prioritário. Para nós este tema é prioritário”, sublinhou.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Cristas diz que Governo “está desmascarado” sobre o investimento na ferrovia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião