Viciado no YouTube? Descubra quantas horas passa a ver vídeos

A partir de agora, vai poder verificar no próprio YouTube quantas horas passou a ver vídeos. A nova funcionalidade pretende tornar o consumo deste tipo de conteúdo mais consciente.

Depois de ter testado se é ou não viciado no Instagram, vai poder agora poder descobrir quantas segundos, minutos ou mesmo horas dedica, todos os dias, à visualização de vídeos no YouTube. A nova funcionalidade da plataforma liderada por Susan Wojcicki foi lançada esta semana e integra o pacote de ferramentas de “bem-estar” que tem sido promovido pela gigante, avança o TechCrunch.

De acordo com a empresa, o objetivo desta funcionalidade — que mostrará o histórico dos últimos sete dias — é permitir aos internautas tomar consciência do tempo gasto nestes conteúdos e, assim, gerir melhor o seu comportamento.

Por outro lado, caso queiram fugir a esse escrutínio, os utilizadores terão apenas de ver os vídeos que lhe interessam numa “janela sem registo” ou certificarem-se de que não estão a usar os seus perfis.

Esta não é a primeira funcionalidade que o YouTube lança para promover o “bem estar” dos seus utilizadores. Desde o início do ano que esta rede social passou a permitir aos internautas desligarem as notificações por um determinado período de tempo e lançou uma nova funcionalidade que lhes dá a possibilidade de receber apenas um sumário das novidades que aconteceram na plataforma.

A par da Google (empresa que detém o YouTube), também o Facebook tem exprimido preocupações semelhantes. Em maio, foi descoberto entre as linhas de código do Instagram uma funcionalidade em tudo semelhante à que o YouTube acaba de lançar. A ferramenta da plataforma de partilha de fotografias cronometra o tempo gasto por dia, por semana ou até por mês, na rede social.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Viciado no YouTube? Descubra quantas horas passa a ver vídeos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião