Precisa de uma nova marca para o seu projeto? Pode ganhá-la aqui

With Company criou uma metodologia remota e flexível que permite um processo de rebranding mais acessível. Objetivo é trabalhar com mais pequenas empresas.

Equipa da With Company a trabalhar na metodologia Double-W.D.R.

O anúncio podia ser assim: “Consultora de design estratégico procura projeto para rebranding sério”. A portuguesa With Company está à procura de gente com “propósito cativante” e “necessidade de uma marca impactante”. Para quê? Para ajudar uma empresa — e de forma gratuita — a reinventar a marca a que está associada.

Para isso, criou o Double-W, um novo processo de branding feito de forma remota e flexível que permite, também por isso, ser feito a um preço mais reduzido. Trocando por miúdos, uma “forma mais esguia de desenvolver marcas consistentes e relevantes, mantendo a abordagem metodológica e colaborativa”, explica a With Company em comunicado.

“Procuramos reaproximar a consultora do design estratégico das empresas que têm vontade de sobra para mudar o mundo mas um budget limitado para construir a sua marca”, esclarece a consultora.

Procuramos reaproximar a consultora do design estratégico das empresas que têm vontade de sobra para mudar o mundo mas um budget limitado para construir a sua marca.

With Company

As empresas interessadas devem candidatar-se até 23 de setembro, contando a sua história. O passo seguinte é abrirem a “casa” à consultora, garante a With Company: isso implica que esteja preparada para “mergulhar num intenso processo colaborativo e experimental”.

Criada em 2012, a With Company desenvolveu projetos como o Fishing for ideas, pioneiro no registo e metodologia de design thinking da D-School, e também o espaço digital Made of Lisboa, desenvolvido em parceria com a Câmara Municipal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Precisa de uma nova marca para o seu projeto? Pode ganhá-la aqui

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião