Mesmo com o travão do Banco de Portugal, bancos deram quase 600 milhões em crédito ao consumo

Os bancos concederam 595,3 milhões de euros em crédito ao consumo em julho, mês em que entraram em vigor as recomendações do regulador da banca . É quase 10% acima do verificado no mesmo mês de 2017.

No mês da entrada em vigor das recomendações do Banco de Portugal que visam prevenir situações de sobreendividamento das famílias, registou-se um novo aumento da concessão de crédito ao consumo. Dados do Banco de Portugal mostram que, em julho, os bancos e as financeiras concederam perto de 600 milhões de euros em empréstimos com esse fim. Trata-se de um aumento de perto de 10% face ao mesmo período do ano passado.

De acordo com as estatísticas da instituição liderada por Carlos Costa, foram disponibilizados 595,3 milhões de euros em empréstimos ao consumo pelos bancos e financeiras. Este montante representa um decréscimo de 35,6 milhões de euros (-5,6%) face aos 630,9 milhões de euros concedidos no mês anterior.

Mas quando comparado ao mesmo mês do ano passado, período comparável, constata-se um aumento de 52 milhões (+9,6%) no montante dos novos empréstimos para consumo. O nível de concessão registado em julho deste ano é, em termos homólogos, o mais elevado desde pelo menos 2013, ano em que começa o histórico do Banco de Portugal.

Crédito ao consumo continua a crescer

Fonte: Banco de Portugal

Este novo aumento acontece no mesmo mês da entrada em vigor das recomendações do Banco de Portugal que têm como objetivo colocar um travão na concessão de crédito às famílias e prevenir situações de sobreendividamento. São três tipos de limites que incidem sobre as maturidades dos empréstimos, dos rácios de financiamento e do serviço da dívida do crédito à habitação e ao consumo.

Há cerca de uma semana, dados do Banco de Portugal também demonstravam que também a concessão de crédito à habitação tinha registado um novo aumento. Foram mais 919 milhões de novo financiamento para a compra de casa naquele mês. Ou seja, 34,8% acima dos 682 milhões que que se tinham verificado em julho do ano passado.

Automóvel na liderança do do crédito ao consumo

Por finalidades, o automóvel mantém-se como o motor do crescimento da concessão de crédito ao consumo. Em julho, o sistema financeiro nacional concedeu 283 milhões de euros em empréstimos para a compra de carro. Ou seja, mais 17% face aos 241 milhões de euros disponibilizados no mesmo período de 2017.

A categoria de outros créditos pessoais, onde se enquadra por exemplo o financiamento para férias ou eletrodomésticos, registou um aumento de 7,8% nos níveis de concessão, com estes a ascenderem a perto de 228 milhões de euros. Por sua vez, nos empréstimos para educação, saúde, energias renováveis e locação financeira de equipamentos verificou-se um aumento de 54%, para os 2.301 milhões de euros, entre julho do ano passado e deste ano.

Apenas nos cartões de crédito se verificou uma diminuição na disponibilização de crédito. Foram 78 milhões de euros, em julho, menos 10% quando comparado com os 86,6 milhões registados no período homólogo.

(Notícia atualizada às 11h47 com mais informação)

Comentários ({{ total }})

Mesmo com o travão do Banco de Portugal, bancos deram quase 600 milhões em crédito ao consumo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião