Exclusivo Manuela Moura Guedes chega ao Jornal da Noite da SIC

A ex-apresentadora do Jornal Nacional vai voltar ao pequeno ecrã. O ECO sabe que a jornalista vai ter um espaço de análise e comentário no Jornal da Noite da SIC.

Manuela Moura Guedes vai voltar ao pequeno ecrã com um espaço de comentário no Jornal da Noite da SIC, a partir do próximo dia 8 de outubro, sabe o ECO. As negociações para um novo programa na estação de Carnaxide duraram semanas e foram fechadas há dias. O novo espaço vai avançar em breve, integrado no Jornal da Noite, e representa a aposta da SIC na substituição de Miguel Sousa Tavares, que está de saída para a TVI e protagonizava um espaço de análise à segunda-feira.

Esta quarta-feira, a SIC e a SIC Notícias passaram a transmitir um vídeo mistério que mostra um plano de primeira pessoa de alguém a entrar na redação do canal. Não é possível ver quem está por detrás da câmara, mas o vídeo promocional mostra várias caras do canal com uma reação de surpresa pela entrada dessa pessoa — entre elas, José Gomes Ferreira, Rodrigo Guedes de Carvalho e Clara de Sousa. Uma próxima versão da campanha irá revelar que, por detrás da câmara, está Manuela Moura Guedes. O ECO sabe que o conceito foi desenvolvido por Rodrigo Guedes de Carvalho.

A ida de Manuela Moura Guedes para a SIC era uma informação que o ECO estava a investigar há várias semanas. Primeiro, houve negociações, mas não se sabia se iam chegar a um acordo. Contudo, agora foi possível confirmar que, efetivamente, a chegou a acordo com a SIC para este novo espaço.

Há duas semanas, o ECO contactou Manuela Moura Guedes e colocou questões sobre o novo formato na SIC, mas a ex-jornalista da TVI não confirmou a informação e disse desconhecer o programa.

Jornalista, cantora pop, ex-apresentadora e ex-deputada

Manuela Moura Guedes é uma figura incontornável do panorama televisivo português. Além de jornalista, tem no currículo funções como apresentadora de programas de entretenimento. É também cantora, com vários álbuns publicados, e foi ainda deputada do Partido Popular na Assembleia da República (AR).

Em 2009, Manuela Moura Guedes esteve envolvida numa polémica com contornos políticos, depois de ver suspenso o Jornal Nacional, um formato de informação e investigação que apresentava na TVI. A jornalista de 62 anos atribui a decisão da administração da Media Capital a influências externas, num caso que também envolveu o nome do ex-primeiro-ministro, José Sócrates.

A suspensão levou à demissão da direção do canal. Segundo informações do Expresso, que citava Manuela Moura Guedes, o Jornal Nacional iria emitir informações exclusivas sobre o caso Freeport no dia seguinte, em que José Sócrates era acusado de ter recebido “luvas”, algo que nunca ficou provado.

Na altura, a redação da TVI classificou a suspensão do formato de “atentado à liberdade de imprensa”. Em contrapartida, a Prisa, que controla a TVI, sempre garantiu que não houve influência externa na decisão de pôr fim àquele formato de informação. Meses antes, em abril, José Sócrates já tinha tecido críticas ao trabalho da jornalista.

Após o fim do Jornal Nacional, Manuela Moura Guedes entregou uma baixa médica a 28 de setembro de 2009. Mais de um ano depois, em outubro de 2010, chegou a acordo com a Media Capital para o fim do contrato. Desde então, a jornalista, cantora e ex-deputada já foi rosto de vários programas de diferentes géneros, como Quem Quer Ser Milionário (entretenimento) ou A Barca do Inferno (comentário de atualidade), ambos na RTP.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Manuela Moura Guedes chega ao Jornal da Noite da SIC

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião