Já arrancou OPV da Sonae MC. Estreia-se dia 23

A oferta pública de venda da próxima cotada da família Sonae vai arrancar já esta segunda-feira. A estreia na bolsa portuguesa está agendada para dentro de duas semanas, no dia 23.

A oferta pública de venda (OPV) da Sonae MC vai arrancar já esta segunda-feira, com as ações da próxima cotada da família Sonae a estrearem-se na bolsa portuguesa dentro de duas semanas, no dia 23.

A Sonae pretende colocar nas mãos do mercado uma parte do capital do negócio do retalho, que inclui as marcas Continente, Go Natural, Wells, entre outras insígnias, prevendo vender as ações durante o período da oferta num intervalo de preços situado entre 1,40 euros e 1,65 euros. Ao valor máximo, a empresa ficará avaliada em 1,65 mil milhões de euros.

Segundo o prospeto da operação divulgado esta quinta-feira, tanto oferta dirigida ao retalho como a oferta dirigida aos institucionais iniciam-se já no próximo dia 8, segunda-feira. Mas, enquanto os pequenos investidores poderão comprar ações até dia 17, os institucionais terão mais um dia (até 18 de outubro) para poder adquirir títulos da Sonae MC.

No dia 18 ficará fechado o preço definitivo da oferta. Depois, “espera-se que a negociação das ações no Euronext Lisbon tenha início, de forma incondicionada, aproximadamente em 23 de outubro“, indica o prospeto.

Porém, “é expectável que o primeiro dia de negociação e de cotação oficial das ações ocorra numa base de “admissão condicional”, por volta do dia 19 de outubro de 2018”, informa a Sonae MC. Os investidores que pretendam negociar em data anterior à data de liquidação, que é expectável que ocorra por volta do dia 23 de outubro, deverão confirmar junto do intermediário financeiro se e em que momento poderão nessa base condicionada.

Com esta operação, a Sonae pretende vender cerca de 217 milhões de títulos, representativos de 21,7% do capital da empresa de retalho, sendo que a percentagem a alienar poderá chegar, no limite, até aos 33%, se a procura se revelar robusta. Os grandes investidores internacionais ficam com a maior “fatia”. Os institucionais e os pequenos investidores nacionais vão ficar com apenas 5% (50 milhões de ações).

Vários pormenores já tinham sido adiantados pela empresa nos últimos meses, tal como a política de dividendos — a Sonae MC tem como objetivo distribuir metade dos lucros pelos acionistas.

A Sonae MC registou um lucro de 3,8 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, com o volume de negócios a totalizar os 2.608 milhões de euros. Explora marcas no setor da distribuição de retalho e não só, através de marcas como o Continente, Go Natural, Worten, Maxmat, Sonae RP (imobiliário), entre outras.

(Notícia atualizada pela última vez às 23h35)

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Já arrancou OPV da Sonae MC. Estreia-se dia 23

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião