Avaliação das casas atinge novo máximo. Supera fasquia dos 1.200 euros

O preço que os bancos avaliam os imóveis na hora de dar crédito subiu nove euros entre agosto e setembro. Fixou-se nos 1.205 euros por metro quadrado.

A avaliação que os bancos atribuem às casas para efeitos de concessão de crédito continua a renovar máximos. Em setembro, o preço do metro quadrado subiu pelo 18.º mês consecutivo, para se fixar num valor médio de 1.205 euros, segundo o Instituto Nacional de Estatísticas (INE). Trata-se de um novo máximo de pelo menos uma década.

O gabinete público de estatísticas divulgou, nesta segunda-feira, que a avaliação dos imóveis atingiu um preço médio de 1.205 euros por metro quadrado. Este montante corresponde a um “aumento de 0,8% relativamente a agosto e de 6,2% face ao mesmo mês do ano anterior, diz o INE.

Avaliação das casas em máximos da década

Fonte: INE

“Em comparação com o período homólogo, o valor médio das avaliações aumentou 70 euros em setembro, tendo o valor de apartamentos e de moradias aumentado 6,0% e 5,7%, respetivamente”, dá ainda nota o gabinete de estatísticas.

Setembro foi assim o 18.º mês consecutivo de subidas deste indicador do qual dependem as condições de acesso ao crédito à habitação dos portugueses, com este a atingir um novo máximo desde pelo menos setembro de 2008, período em que começa o histórico do INE.

Assumindo o exemplo de um imóvel de 100 metros quadrados e o valor da avaliação bancária, tal faz com que uma casa que estava avaliada há um ano por 113,5 mil euros hoje valha 120,5 mil euros. Ou seja, mais sete mil euros, em média.

Esses aumentos sucessivos na avaliação pelos bancos acompanham o dinamismo do setor imobiliário nacional e a escalada que se regista nos preços de transação das casas. Após uma subida de mais de 12%, no primeiro trimestre do ano, o preço médio de venda das casas voltou a aumentar 11,2% no segundo trimestre.

Algarve lidera no preço e nas subidas

Os aumentos de preços foram transversais às diferentes regiões do país, em setembro, em termos homólogos. Mas os incrementos mais acentuados verificaram-se no Algarve, com a região a reforçar ainda mais a sua liderança no ranking dos preços atribuídos pelos bancos. Em setembro, a avaliação das casas nessa região cresceu 9,7% (ou 139 euros) face ao período homólogo para se fixar num valor médio de 1.567 euros, o mais alto do país.

O Norte foi a zona geográfica a apresentar a segunda maior subida — 8,1% — para os 1.090 euros, sendo assim a quarta região com as avaliações mais elevadas.

Segue-se a Área Metropolitana de Lisboa, onde no último ano os preços subiram 6,8%, com o valor médio a fixar-se em 1.475 euros por metro quadrado. A região da capital mantém-se em segundo no ranking nacional dos preços das casas. No último ano, o valor do metro quadrado cresceu 94 euros, em média, nessa região.

(Notícia atualizada às 11h38 com mais informação)

Comentários ({{ total }})

Avaliação das casas atinge novo máximo. Supera fasquia dos 1.200 euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião