SRS e Lexdebata lançam 2ª edição do Prémio Pessoa Jorge

A SRS Advogados e a Lexdebata, em parceria com a Almedina, lançam a segunda edição do Prémio Pessoa Jorge, depois da primeira edição, que contou com várias candidaturas de estudantes portugueses.

A SRS Advogados e a Lexdebata, em parceria com a Almedina, lançam a segunda edição do Prémio Pessoa Jorge, depois da primeira edição, que contou com várias candidaturas de estudantes portugueses e de Países de Língua Oficial Portuguesa.

“Este prémio foi criado em homenagem ao Professor Doutor Fernando Pessoa Jorge, grande figura do Direito no nosso País e visa promover a investigação nesta área do saber e o investimento na promoção de novos talentos na área do Direito. Esta aposta na formação de jovens tem sido a base da nossa sociedade, desde sempre”, realça Pedro Rebelo de Sousa, sócio sénior da SRS Advogados.

O prémio destina-se a galardoar o melhor trabalho de investigação, em português e inglês, apresentado com uma análise crítica inédita (de doutrina, jurisprudência e/ou legislação), em todas as áreas do Direito e terá um valor de 3 mil euros ao qual acresce a eventual publicação do trabalho e de um estágio na sociedade. O júri é constituído por especialistas de reconhecido prestigio e mérito científico nas diversas áreas do Direito.

Na 1ª Edição do Prémio, o vencedor foi Guilherme Oliveira e Costa, com o trabalho de investigação «O Impacto do Parecer 2/2015 do TJUE na política comercial da União Europeia: mudança de paradigma na celebração da “nova geração” de Acordos de Comércio Livre».

Houve ainda direito a menções honrosas a outros quatro trabalhos; “Direito a ser esquecido: um conceito em construção”, de António Abreu Novais e Francisco Arga e Lima; “Smart Working – o advento de novos regimes de trabalho e a flexibilização do trabalho subordinado”, de João Moreira Dias; “Frente Polisário: o contributo do Tribunal de Justiça da União Europeia para o reconhecimento da causa”, de Luís Miguel Correia da Silva; “Swaps as wagering contracts”, de Pedro Tiago da Silva Ferreira.

O júri foi presidido pelo professor Manuel Porto (da Universidade de Coimbra) e composto por Carlos Santos Ferreira (Consultor da SRS Advogados), Joana Farrajota (Universidade Nova de Lisboa), Manuel Almeida Ribeiro (Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa), Paula Rosado Pereira (Universidade de Lisboa) e Rita Lynce de Faria (Católica Research Centre for the Future of Law).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

SRS e Lexdebata lançam 2ª edição do Prémio Pessoa Jorge

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião