Lucros da EDP Renováveis caem 30%. Produziu mais, mas preços desceram

A empresa liderada por Manso Neto fechou os primeiros nove meses com resultados líquidos de 115 milhões de euros, uma quebra de quase um terço face ao período homólogo.

A EDP Renováveis revelou uma quebra nos resultados líquidos. Caíram 30% face ao mesmo período do ano passado, encolhendo para 115 milhões de euros num período marcado por um aumento da produção de energia através de fontes renováveis que, contudo, foi anulado pela queda dos preços de venda.

“O resultado líquido totalizou 115 milhões (contra os 165 milhões no período homólogo)”, diz a empresa liderada por Manso Neto em comunicado enviado à CMVM. Isto enquanto o EBITDA encolheu em 12%, para 869 milhões, e as receitas diminuíram. Registaram uma quebra de 8%.

Nos primeiros nove meses do ano, a EDP Renováveis “produziu 20,7 TWh de energia limpa (mais 4% face ao período homólogo), evitando 16,3 toneladas métricas de emissões de CO2″, diz a empresa, notando que este aumento traduziu “as adições de capacidade (um aumento de 576 MW) com fator de utilização superior”.

Apesar disso, o “preço médio de venda totalizou 53,70 euros/MWh”, o que traduz uma quebra de 11% em comparação com o mesmo período do ano passado “devido a impactos cambiais e menores preços na Europa (-6%, maioritariamente na Polónia e Roménia) e América do Norte (-3%)”.

“Em resultado da maior produção (4%), menor preço realizado (-11%), cambial e outros (que reduziram as receitas em 49 milhões) e o termo esperado de PTCs (após 10 anos) em algumas estruturas de Tax equity (-43 milhões), as receitas totalizaram 1.239 milhões de euros”, explica a empresa.

(Notícia atualizada às 7h31 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lucros da EDP Renováveis caem 30%. Produziu mais, mas preços desceram

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião