SRS apoia e recebe comitiva do Brasil na Web Summit

A SRS Advogados e a Câmara de Comércio e Indústria Luso Brasileira organizaram uma manhã de apresentações para a comitiva brasileira, que conta com 180 empresários, investidores e startups.

A SRS Advogados e a Câmara de Comércio e Indústria Luso Brasileira (CCILB) organizaram uma manhã de apresentações para a comitiva brasileira, que conta com 180 empresários, investidores e startups no âmbito da Missão Web Summit. De salientar que esta missão é a maior de sempre. Em 2017, contou com 80 participantes e, em 2016, apenas com 30 participantes.

A comitiva teve oportunidade de ver abordados temas como os “Players do mercado Português, oportunidades e caso de sucesso de brasileiros em Portugal” (Rock in Rio), “Doing Business in Portugal: regime societário e tributário para startups”, “Incentivos Portugal 2020” e ainda o “regime do Golden Visa e Startup Visa”.

A SRS Advogados acolhe ainda o jantar com as entidades oficiais e os mais relevantes empresários e investidores brasileiros que integram a comitiva. Neste encontro, marcarão também presença o Secretário de Estado da Economia, João Correia Neves, o Secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, o Presidente da AICEP, Luis Filipe Castro Henriques, o Presidente da Federação das Câmaras Portuguesas no Brasil, Nuno Rebelo de Sousa, e o Presidente da Câmara de Comércio e Indústria Luso Brasileira em Portugal (CCILB), Francisco Murteira Nabo.

“Para nós, é fundamental promover esta conexão de empresários e startups brasileiras com o ecossistema empreendedor português”, realça Paulo Bandeira, Sócio da SRS Advogados, responsável pela área de Startups e pelo projecto Startup Lab, a primeira incubadora de Startups criada por uma sociedade de Advogados.
“É uma honra voltar a receber a Comitiva Brasileira, pelo terceiro ano consecutivo, na SRS Advogados“, acrescenta Pedro Rebelo de Sousa, Managing Partner da SRS Advogados.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

SRS apoia e recebe comitiva do Brasil na Web Summit

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião