5 coisas que vão marcar o dia

Dia de orçamento português com o fim do prazo para a entrega de propostas de alteração e dia de orçamento comunitário, com reunião do Ecofin. Obrigacionistas do BPI aprovam fusão.

Partidos têm até final do dia para proporem alterações ao Orçamento do Estado para 2019. Lá fora, os ministros das Finanças europeus começam a preparar o orçamento geral da União Europeia para o próximo ano. O Eurostat confirma os valores da inflação na Zona Euro (preços terão crescido 2,2% em outubro). Por outro lado, os obrigacionistas do BPI decidem sobre a fusão do banco com o banco de investimento e a sociedade de risco. Draghi fala em Frankfurt.

Último dia para apresentar alterações ao Orçamento

Termina hoje o prazo para os partidos apresentarem as propostas de alteração ao Orçamento do Estado para 2019, pelas 22h00. Antes disso, da parte da manhã, será a vez de o ministro das Finanças explicar o documento orçamento para a sua pasta que o Governo submeteu ao Parlamento há um mês.

Ecofin prepara orçamento comunitário

Em Bruxelas, reúne-se o Conselho de Assuntos Económicos e Financeiros (Ecofin), num encontro que junta os ministros dos Estados-membros da UE responsáveis pela Economia e Finanças, presidido por Hartwig Löger, ministro das Finanças da Áustria. O Conselho vai preparar as negociações com o Parlamento Europeu sobre o orçamento geral da UE para 2019.

Como vão os preços na Zona Euro?

O Eurostat divulga a evolução dos preços na região da moeda única no mês de outubro. A primeira estimativa rápida lançada pelo gabinete europeu de estatísticas aponta para uma inflação de 2,2%, acima da taxa registada no mês anterior, que foi de 2,1%.

Obrigacionistas do BPI aprovam fusão

Os obrigacionistas do BPI reúnem em assembleia geral para se decidirem sobre o projeto de de fusão com Banco Português de Investimento e a sociedade de risco BPI Private Equity, no âmbito da reorganização do grupo que está a ser feita pelo seu dono, o CaixaBank.

Draghi e Weidmann falam em Frankfurt

Numa altura em que o BCE prepara o fim das compras líquidas de dívida na Zona Euro, e com Itália a ser motivo de preocupação nos mercados devido ao braço de ferro com Bruxelas por causa do orçamento, Mario Draghi (BCE) e Jens Weidmann (Bundesbank) falam em Frankfurt, na Alemanha, no âmbito de um congresso bancário.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

5 coisas que vão marcar o dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião