Revista de imprensa internacional

  • ECO
  • 19 Novembro 2018

O Brexit está a marcar as agendas europeias. Theresa May discursa hoje perante uma plateia de empresários em busca de apoio. No Japão, o presidente da Renault e Nissan está a braços com a justiça.

O Brexit continua na ordem do dia. Theresa May que nos últimos tempos se tem multiplicado em aparições pública está esta segunda-feira perante uma plateia de empresários. A ideia é pedir apoio para o acordo de Brexit, numa altura em que paira no ar o cenário da sua demissão. Michel Barnier, por seu turno, já veio defender o período de transição até 2022. Do outro lado do Atlântico, Jair Bolsonaro estuda entregar a comunicação a profissionais, depois de ter sido eleito presidente do Brasil com recurso, sobretudo, às redes sociais. O principal obstáculo é convencer os filhos. No Japão, o presidente da Renault e da Nissan está a braços com a justiça. Em causa estão irregularidades financeiras.

Bloomberg

Theresa May pede apoio aos empresários para o Brexit

Theresa May pede esta segunda-feira apoio aos empresários britânicos para levar por diante o acordo do Brexit. A diligência de May acontece depois da oposição se ter mostrado implacável no parlamento estando mesmo em cima da mesa uma eventual moção de confiança com o intuito de a levar a demitir-se. May vai estar na Confederação da Indústria Britânica, em Londres, na presença de 1500 empresários, para explicar o seu plano. Este encontro com os empresários acontece depois do presidente da CBI, ter pedido aos políticos escutem as empresas nos seus distritos eleitorais. Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso livre, conteúdo em inglês).

Financial Times

Barnier quer extensão do período de transição do Brexit até 2022

Michel Barnier, negociador da União Europeia (EU) para o Brexit, admite prolongar o período de transição até 2022. Uma ideia que terá tido a aprovação por parte dos embaixadores dos 27 países da UE, que estiveram reunidos este domingo, em Bruxelas, para analisar o acordo preliminar alcançado na quarta-feira entre Londres e a UE. O alargamento do período de transição, inicialmente previsto até ao final de 2020, será debatido na cimeira de líderes, marcado para 25 de novembro, para aprovar o esboço do acordo de saída. Leia a notícia completa no Financial Times (acesso pago/ conteúdo em inglês).

Folha de S. Paulo

Bolsonaro aposta na comunicação profissional

Depois de ter vencido as eleições brasileiras sem uma estrutura de assessoria de comunicação profissional e apoiada sobretudo nas redes sociais, Jair Bolsonaro estuda agora profissionalizar a comunicação do seu governo. A ideia tem contudo a oposição dos filhos do presidente que com ele trabalham na política. A situação não é contudo pacífica, já que políticos e militares defendem que a ausência de um assessor de imprensa e de uma estratégia clara de comunicação traz prejuízos. Leia a notícia completa na Folha de São Paulo (acesso livre).

Expansion

Presidente da Renault envolto em cerco judicial

Carlos Ghosn, presidente de Renault e da Nissan, tem a justiça à perna. A notícia é avançada pela imprensa japonesa, através do diário Asahi, que dá conta de presumíveis irregularidades financeiras do gestor brasileiro. A notícia que apanhou todos de surpresa está a arrastar as ações da Renault para mínimo de três anos. Ghosn está acusado de cometer uma suposta violação da legislação financeira, por não ter fornecido informação sobre o seu salário de forma correta. Leia a notícia completa no Expansion (acesso livre/ conteúdo em inglês).

Bloomberg

Menos conversa e mais trabalho, é assim o novo robô do Softbank

O Sofbank Group está a lançar um novo robô no mercado, mas ao contrário do Pepper, que era bastante falador, este novo apenas irá limpar o chão. A nova máquina terá o nome de Whiz e deverá estar à venda no Japão, em fevereiro. A máquina destinada a limpar pisos para empresas, deverá ter 32 quilos e é alimentada por software autónomo e uma série de sensores da Brain Corp, uma startup sediada em San Diego.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião