Revista de imprensa internacional

  • ECO
  • 23 Novembro 2018

Despedimentos da Vodafone em Espanha, aperto do BCE à concessão de crédito, acusações de Espanha ao Reino Unido sobre Gibraltar, substituição à vista de Ghosn e crise das criptomoedas marcam o dia.

A Vodafone poderá estar a reparar-se para despedir até mil trabalhadores em Espanha devido ao agudizar da concorrência. Já o BCE terá estabelecido como prioridade para o próximo ano olhar com atenção para os critérios para a disponibilização de crédito à habitação e outras finalidades com o objetivo de combater os ativos tóxicos nas mãos da banca europeia. O Brexit volta a ser notícia, com o agudizar da tensão entre Espanha e o Reino Unido relacionada com Gibraltar. Também Carlos Ghosn volta às principais páginas dos jornais. Depois de afastado pela Nissan devido às acusações de fraude, deverá ver escolhido o seu substituído em dezembro. Nos mercados, as criptomoedas voltam a ser notícia, naquela que será a pior semana em termos de desempenho desde o rebentar da bolha, em janeiro.

El País

Vodafone estuda despedimentos em Espanha. Podem chegar a 1.000

A Vodafone estará a a preparar-se para apresentar um plano que prevê uma redução de postos de trabalho em Espanha, no seguimento do aumento da concorrência. A notícia é avançada pelo El País (acesso grátis) nesta sexta-feira, dando conta que apesar de não haver um número fechado, os despedimentos podem atingir um total de 1.000 trabalhadores. Ou seja, o equivalente a 20% face aos 5.000 trabalhadores que a telecom dispõem em Espanha. Os despedimentos terão como principal foco as áreas de sistemas e comercial.

Expansión

BCE quer vigiar “à lupa” concessão de crédito à habitação

O Banco Central Europeu (BCE) prepara-se para olhar com mais atenção para a disponibilização de empréstimos para a compra de casa, uma medida que estabeleceu como prioridade para o próximo ano. O Expansión (acesso grátis) explica, nesta sexta-feira, que a entidade liderada por Mario Draghi quer apertar a malha aos ativos tóxicos da banca, pretendendo assim examinar pela primeira vez os critérios de concessão de crédito à habitação e de outro tipo de financiamentos, como para consumo.

Reuters

Nissan pretende nomear substituto para Ghosn em dezembro

A Nissan Motor pretende nomear um novo presidente, para substituir Carlos Ghosn que foi detido por fraude fiscal, dentro de um mês ou dois. Fonte próxima do processo adiantou à Reuters (acesso grátis) que tal poderá acontecer ainda antes da próxima reunião da administração que acontece a 20 de dezembro, disse uma fonte familiar com a matéria. A indicação do substituto do gestor libano-brasileiro será feita pelo recém-criado comité consultivo da fabricante automóvel japonesa, que inclui os três diretores independentes da empresa.

The Guardian

Espanha acusa Reino Unido de “traição” por causa de acordo para Gibraltar

O Reino Unido foi acusado por Espanha de “traição” e de atuar “sob a cobertura da escuridão” numa escalada da guerra de palavras sobre o futuro de Gibraltar, que pode comprometer o acordo sobre o Brexit, dá conta o The Guardian (acesso grátis). Theresa May é acusada de introduzir uma cláusula no acordo de retirada que garantiria que Gibraltar fosse coberto por um futuro acordo comercial negociado com Bruxelas.

Bloomberg

Criptomoedas perdem mais de 600 mil milhões numa semana

Os adeptos das criptomoedas estão a ter uma semana “para esquecer”. As moedas digitais registaram perdas de perto de 700 mil milhões de dólares (mais de 600 mil milhões de euros), no balanço daquela que é a pior semana desde o rebenta da bolha, dá conta a Bloomberg (acesso grátis) nesta sexta-feira. Esta sexta-feira, a bitcoin mergulhou abaixo dos 4.000 dólares, ditando ao índice Galaxy da Bloomberg um deslize de 23% desde o dia 16 de novembro. Trata-se do pior registo desde o pico da criptomania em janeiro.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião