Em sete meses, simulador de pensões já foi usado 2,5 milhões de vezes. E vai ser alargado à CGA

Lançado em maio, o simulador das pensões da Segurança Social já foi usado quase 2,5 milhões de vezes. De acordo com Vieira da Silva, a ferramenta deverá ser alargada à CGA no início de 2019.

Sete meses depois de ter sido lançado, o simulador de pensões da Segurança Social já foi usado quase 2,5 milhões de vezes. O número foi avançado, esta quinta-feira, pela secretária de Estado Cláudia Joaquim, na apresentação da nova aplicação móvel da Segurança Social. À margem desse evento, o ministro do Trabalho aproveitou ainda para garantir que essa ferramenta deverá chegar aos beneficiários da Caixa Geral de Aposentações (CGA) “no início do próximo ano”.

“Este instrumento cumpre um papel insubstituível na criação de melhores condições de transparência na Segurança Social”, sublinhou o responsável pela pasta do Trabalho, adiantando que o instrumento em causa se transformou numa “prática regular e pacífica” entre os contribuintes. A título de exemplo, Vieira da Silva salientou também que, se cada uma dessas utilizações correspondesse a uma pessoa (o que não é o caso), tal significaria que mais de metade dos contribuintes da Segurança Social já o teria usado.

O simulador online de pensões foi lançado a 8 de maio deste ano e permite ao utilizador conhecer a sua idade estimada de reforma e o valor esperado de pensão. Ainda que os valores apresentados não sejam vinculativos, ajudam os contribuintes no processo na gestão da carreira, já que dão uma ideia do futuro.

Até ao momento, segundo o Ministério do Trabalho e da Segurança Social, já foram feitas 2.446.578 simulações: 1.625.184 automáticas e 821.394 à medida.

Além disso, assegurou Vieira da Silva, esta ferramenta deverá ficar disponível, no início do próximo ano, também para os beneficiários da Caixa Geral de Aposentações. Em maio, o Governo já tinha anunciado este alargamento, mas previra que tal aconteceria até ao final de 2018, o que, afinal, não se vai concretizar.

“Estamos a finalizar este processo. A CGA tem algumas características, até pela sua história, que tornam este processo um pouco mais exigente do que na Segurança Social”, justificou o ministro, em declarações aos jornalistas. Entre as particularidades desse sistema identificadas por este membro do Executivo, está a contabilização da carreira contributiva, que obedece a um modelo distinto. “No início do ano, devemos cumprir com pouca margem de erro o compromisso que assumimos“, reforçou Vieira da Silva.

Além dos dados relativos ao simulador de pensões, a secretária de Estado da Segurança Social aproveitou a ocasião para revelar mais alguns números. Cláudia Joaquim revelou que por via das declarações de remunerações online (isto é, do serviço online de entrega, validação, consulta e substituição de declarações de remunerações) foram evitados, no ano passado, quase quatro milhões de erros, face a 2015. Tal significou, segundo um estudo da Universidade Nova, uma poupança estimada de 260 milhões de euros para as empresas em custos administrativos e uma poupança estimada de 424 mil horas de trabalho na Administração Pública.

“Esta mudança ajuda a atingir um objetivo que é fundamental que é garantir que o volume de receitas da Segurança Social chega com estabilidade“, assinalou, por fim, o ministro da Segurança Social.

Comentários ({{ total }})

Em sete meses, simulador de pensões já foi usado 2,5 milhões de vezes. E vai ser alargado à CGA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião