EDP quer obrigar clientes a contratos de cinco anos

  • ECO
  • 13 Janeiro 2019

A EDP Comercial garante que a proposta é "de decisão voluntária", mas nas cartas enviadas aos clientes industriais diz que a não aceitação do prazo implica o fim do contrato.

A EDP Comercial está a enviar cartas aos clientes industriais com contratos em final de prazo dando conta de que a sua duração vai ser alterada para cinco anos.

Se os clientes não concordarem com a alteração podem “proceder à resolução do contrato”, escreve o Público (acesso condicionado) na edição de domingo.

A EDP justifica que a conjuntura de preços no mercado grossista não lhe permite manter as condições contratuais. “Para nos ser possível manter os preços atualmente constantes do seu contrato de fornecimento de energia e evitarmos os aumentos impostos pelo mercado grossista de energia, será necessário prolongar a vigência do seu contrato até 31-12-2023”, referem as cartas enviadas aos clientes.

Fonte oficial da EDP garante, no entanto, que “a proposta é de decisão voluntária por parte dos clientes, que podem optar por manter o prazo dos seus contratos”.

A resolução do contrato implicará, acrescentam as missivas, “a interrupção de fornecimento de energia“.

A ERSE, num outro contexto, em janeiro de 2018, considerou que a EDP Comercial ao usar a expressão “interrupção do fornecimento de energia” em cartas de despedida enviadas a clientes que optaram por muar de comercializador de energia, suscitava “um receito injustificado e infundado relativamente à continuidade da prestação de um serviço público essencial”.

Comentários ({{ total }})

EDP quer obrigar clientes a contratos de cinco anos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião