CMVM aprova saída de bolsa da Transinsular

  • Lusa
  • 14 Janeiro 2019

A CMVM aprovou a saída de bolsa da Transinsular, empresa de transportes marítimos. Decisão tinha sido tomada em assembleia-geral em maio do ano passado.

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) aprovou a saída de bolsa da Transinsular – Transportes Marítimos Insulares, requerida em 2018, foi anunciado. “A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) deferiu em 14/12/2018, a perda de qualidade de sociedade aberta da Transinsular”, lê-se na informação remetida ao mercado esta segunda-feira.

De acordo com o comunicado enviado à CMVM, a saída de bolsa foi pedida na sequência da assembleia-geral anual de acionistas da Transinsular, realizada em 9 de maio de 2018, na qual foi aprovada pela totalidade dos votos de 99,81% do capital social da empresa de transportes marítimos.

“A acionista ETE – Sociedade Gestora de Participações Sociais […] obrigou-se a adquirir um máximo de 2.710 ações nominativas com valor nominal de cinco euros cada, representativas de 0,19% do capital social da Transinsular […] pertencentes aos acionistas que não votaram favoravelmente a aludida deliberação, pelo preço unitário de 38 euros durante o prazo de três meses contados a partir da data de publicação da declaração de perda da qualidade de sociedade aberta”, acrescentou.

Por sua vez, o valor da contrapartida corresponde ao valor oferecido pela ETE “no contexto do compromisso assumido de adquirir as ações detidas pelos acionistas que não tenham votado favoravelmente” a deliberação, uma vez que “a contrapartida mínima definida pelo auditor independente, foi inferior àquele valor”.

Para este efeito, a acionista ETE depositou no Santander uma caução de 102.980,00 euros “destinada a garantir o pontual cumprimento da obrigação de pagamento do valor da contrapartida da aquisição das 2.710 ações detidas pelos acionistas” que não aprovaram a saída de bolsa da Transinsular.

“Os acionistas interessados poderão alienar as ações de que são titulares, mediante a transmissão de ordens de venda junto de qualquer intermediário financeiro legalmente habilitado a receber ordens de venda de valores mobiliários, até às 15h00 horas do dia 18 de março de 2019”, indicou.

A Transinsular informou ainda que, durante o primeiro mês de vigência da ordem de compra, a ETE comprou 32 ações representativas do capital social da empresa, ficando assim por adquirir um máximo de 2.678 títulos. Segundo o comunicado enviado à CMVM, a ETE pretende também recorrer “à aquisição potestativa tendente ao domínio total das ações remanescentes da Transinsular”.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CMVM aprova saída de bolsa da Transinsular

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião