Madeira vai contrair empréstimo de 355 milhões de euros

  • Lusa
  • 15 Janeiro 2019

O Governo Regional da Madeira vai contrair um empréstimo de 355 milhões de euros para amortizar dívida da região e das empresas públicas reclassificadas.

O Governo Regional da Madeira vai contrair um empréstimo no valor de 355 milhões de euros destinados à amortização de empréstimos da região e das empresas públicas reclassificadas, revelou o Jornal Oficial da Região.

Numa resolução publicada esta terça-feira e não publicitada nas conclusões públicas da última reunião do Conselho de Governo, que se realizou em 10 de janeiro, o executivo liderado pelo social-democrata Miguel Albuquerque decidiu contrair “uma operação de financiamento de longo prazo, até ao montante de 355 milhões de euros, destinada à amortização de empréstimos da região e das suas empresas públicas reclassificadas”, pode ler-se.

De acordo com a mesma resolução, o “Governo da República encontra-se autorizado a conceder a garantia do Estado à operação”.

Em comparação com o ano de 2018, em que a região fez o mesmo procedimento, há um decréscimo de 100 milhões de euros no pedido de empréstimo deste ano (em 2018 foi de 455 milhões de euros). O Governo da Madeira considera que o Orçamento da Região para 2019 “dispõe da possibilidade de contrair empréstimos para substituir e amortizar empréstimos anteriormente contraídos”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Madeira vai contrair empréstimo de 355 milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião