Ghosn demite-se da liderança da Renault

  • ECO
  • 24 Janeiro 2019

Esta quinta-feira, a administração da Renault reúne-se para escolher o sucessor de Carlos Ghosn. O gestor demitiu-se do cargo de CEO e chairman da Renault.

Dois meses depois de ter sido preso no Japão, Carlos Ghosn demitiu-se da presidência da Renault. A notícia está a ser avançada pela agência France-Presse, que cita o ministro francês das Finanças, Bruno Le Maire.

Ainda segundo a agência francesa, o sucessor de Ghosn deverá ser o patrão da Michelin Jean-Dominique Senard, isto no que diz respeito ao cargo de chairman. Já a Reuters avança que, para o cargo de CEO, deverá ser nomeado Thierry Bollore, atual vice-presidente executivo da empresa.

A renúncia de Ghosn surge na véspera da reunião da Renault tendo em vista a nomeação de uma nova liderança. A prisão e acusação de Ghosn por má conduta financeira prejudicaram o relacionamento Renault-Nissan, ameaçando o futuro da parceria industrial.

Carlos Ghosn liderava a Renault desde 2005. Detido há mais de dois meses no Japão, o gestor aguarda julgamento, depois de se ter declarado inocente. O gestor arrisca uma pena que poderá ir até aos 15 anos de prisão.

Comentários ({{ total }})

Ghosn demite-se da liderança da Renault

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião