Quando o design e arquitetura acrescentam novas camadas às marcas

A norte, há marcas, arquitetura e design, made in Portugal e premiados internacionalmente, que vamos conhecer no terceiro episódio Ecoolhunter.

Seguimos para Norte, sem guião mas com três pontos assinalados no GPS. O primeiro leva-nos à sede do grupo têxtil português Polopique, um dos maiores produtores mundiais para o grupo Inditex. O projeto de arquitetura do edifício da nova sede foi reconhecido nos Urban Design & Architecture Design Awards 2018, na categoria de “Edifícios de escritórios”, e leva-nos a analisar a forma como a identidade corporativa e os valores da empresa também se expressam através do traço e das novas linhas do espaço de trabalho.

No Porto, no estúdio do designer que criou a identidade visual da própria cidade, falamos de design. Eduardo Aires, que acrescentou um ponto ao Porto, fala-nos de princípios mas também das atuais tendências aplicadas às marcas. Um dos seus recentes projetos foi a nova identidade visual da linha Musgo Real da Claus Porto, reconhecida com três prémios internacionais: o Graphis Gold award atribuído pela North American publishing house Graphis, a Silver medal no European Design Awards e o Silver Pentaward na categoria de “Luxury – Make-up, body care, beauty products”.

E é na flagship store da Claus Porto que o arquiteto João Mendes Ribeiro nos explica como a arquitetura acrescenta, sem fazer ruído, novos layers à própria arquitetura da marca.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Quando o design e arquitetura acrescentam novas camadas às marcas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião